Quarta Etapa: Domenech e Viehmann vencem a quarta etapa

Com direito a chuva por algumas voltas, 30 carros, entre Opalas e Caravans fizeram o show em mais duas emocionantes provas neste domingo 25 de outubro de 2020.

Novamente sem poder contar com a presença do público fiel nas arquibancadas, a Old Stock Race e Opala 250 realizaram mais duas baterias, válidas pela quarta etapa do Campeonato Paulista, e desta vez os pilotos tiveram que mostrar muita habilidade no Autódromo Internacional José Carlos Pace na zona sul da cidade de São Paulo com destaque para dois deles: Ricardo Domenech, que venceu as duas vezes pela Old Stock Race e Konrad Viehmann, que levou a vitória pela Opala 250 nas duas provas, fazendo o campeonato ficar mais acirrado entre ele e Giovani Almeida (abaixo no 37) .

Na largada da primeira prova Pimenta contornou o “S do Senna” na ponta, com Grego Lemonias tentando tomar sua posição e Felipe Matos pelo lado de fora também arriscando uma ultrapassagem. Na linha de trás, Marcos Philippi, Ricardo Domenech, Evandro Camargo e Marco Maragno, fizeram praticamente juntos o contorno ate a entrada da reta oposta. Pimenta conseguiu abrir alguns metros de vantagem de Lemonias e Marcos Philippi emparelhou seu Opala com Felipe Matos na curva do lago conseguindo a ultrapassagem na subida do laranjinha, se mantendo na posição por algumas voltas, mas não sem ser atacado todo o tempo pelo piloto do Opala 93

Pimenta e Grego fizeram um duelo até praticamente o final da primeira prova (abaixo) . Foto: Humberto Silva/OSR

Pela Opala 250, categoria que além de ter em seu grid Opalas de todos os modelos, também conta com as Caravans, Cristian Cordeiro e Konrad Viehmann duelaram praticamente durante toda a prova, ambos com suas Caravans, 333 e 73 respectivamente, alternando as posições e enfrentando também carros da Old Stock Race curva a curva.

Na categoria Opala 250 as Caravans de Konrad Viehmann e Cristian Cordeiro.  Foto: Humberto Silva/OSR

La na ponta, Pimenta e Grego mantiveram se muito próximos o tempo todo, abrindo uma distancia razoável do  segundo pelotão, ate que o Opala do líder do campeonato na Categoria Opala 250, Giovani Almeida rodou no “S do Senna” e o motor apagou, sendo necessária a intervenção do Safety Car, reagrupando todos os carros.

Faltando três voltas para o final, a bandeira verde foi agitada e na freada do final da reta principal o Opala de Grego Lemonias tocou a lateral do carro de Pimenta, que o fez perder o traçado indo para a área de escape. Com isso Lemonias assumiu a ponta e  Pimenta passou a ser atacado por Rodrigo Helal, que relargou em terceiro, após um inicio de prova com problemas, nisso Domenech também se juntou ao pelotão e passou a atacar Helal e posteriormente o carro 451.

Abrindo a penúltima volta, Pimenta conseguiu emparelhar seu carro com o de Grego na descida do lago e quando os dois Opalas apontaram na curva do laranjinha se tocaram porta com porta, fazendo com que o Opala 451 rodasse, perdendo a posição novamente para o 18, que passou a ser atacado por Ricardo Domenech e Felipe Matos, após ambos ultrapassarem o Opala 113 de Helal com problemas elétricos.

Ricardo Domenech (abaixo no 17) , que teve problemas no inicio da prova, se recuperou e escalou o pelotão.  Foto: Humberto Silva/OSR

Abrindo a última volta, Ricardo Domenech se aproximou ainda mais de Grego e no final da reta oposta os dois carros ficaram emparelhados, ate que Lemonias passou reto na curva e foi parar na caixa de brita. “Na reduzida eu pisei no freio e o pedal foi ate o fundo, pois as pastilhas se desgastaram demais, esquentando o sistema e isso fez o fluido vazar muito rápido sem que eu tivesse tempo de perceber, então o instinto foi jogar o carro na caixa de brita para ele parar, antes que tomasse a direção da proteção de pneus, o que poderia ter causado um acidente muito serio na velocidade que eu vinha.” disse Grego (abaixo no 18) após a prova.

Ricardo Domenech partiu para a vitória, com Felipe Matos chegando em segundo, Pimenta em terceiro e completando o pódio, Amaury Biem em quarto, Marco Maragno em quinto e Ciro Paciello em sexto.

Pela Opala 250, Konrad Viehmann foi o vencedor, Cristian Cordeiro o segundo, Perseu Alarcon o terceiro, Carlos Freire o quarto, Alberto Scarasati o quinto e Eduardo Conradt o sexto.

Domenech (abaixo) vence a primeira prova depois de uma largada com problemas. Foto: Humberto Silva/OSR

A segunda prova, no período da tarde, teve um componente especial: a chuva que estava prometida ainda para o treino do sábado e não veio, chegou de forma até que tímida ainda no alinhamento dos carros no grid, o que pegou a todos de surpresa, caindo inicialmente na parte próxima ao final da reta oposta e em seguida cobrindo todo o autódromo, mesmo que com pouca intensidade, mas o suficiente para encharcar o asfalto, que passou o final de semana inteiro recebendo várias categorias do campeonato acumulando detritos de borracha e alguns pontos de óleo em determinados trechos. Isso comprometeu significantemente o andamento da prova, pois os Opalas e Caravans agora tinham mais uma preocupação: a de procurar um traçado melhor para contornar as curvas e escolher um ponto de frenagem seguro.

Na largada, Felipe Matos se deu muito bem colocando o Opala 93 (acima)  no final da reta dos boxes e mesmo vindo pelo lado de fora da curva na primeira perna do “S do Senna”, manteve a linha de traçado, obrigando Domenech a fechar mais a curva para não haver o toque e com isso Matos conseguiu contornar a segunda parte da curva por dentro, apontando na reta oposta na primeira colocação. Na curva da junção Domenech atacou Felipe que, para se defender, mudou o traçado e com isso deu a chance de Ricardo completar a manobra à sua frente subindo para a reta dos boxes novamente na ponta, porém na entrada da curva do Sol Domenech passou do ponto atingindo a parte de terra da pista perdendo a posição e ficando para trás. 

Largada da segunda prova, Domenech por dentro, Matos por fora. Foto: Humberto Silva/OSR

Felipe assumiu novamente a liderança da prova, sendo agora perseguido por Marco Maragno, Amaury Biem e Grego Lemonias. O piloto do Opala numeral 18, que largou em 20º, na abertura da segunda volta já era quarto colocado e na entrada da reta oposta fez a ultrapassagem sobre Maragno e Biem, assumindo a segunda posição, partindo para o ataque direto a Felipe Matos, conseguindo assumir a ponta na descida do lago. Pela Opala 250 Cristian Cordeiro da Caravan 333 largou muito bem, ultrapassando Konrad Viehmann e Ciro Paciello, chegando figurar na quarta posição nas primeiras voltas.

O líder do Campeonato seguido de perto pelo vencedor da primeira prova. Foto: Humberto Silva/OSR

Ao completar a oitava volta, Grego Lemonias avistou uma placa com os números 01 (zero e hum) mostrados pelo fiscal no PSDP (Posto de Sinalização da Direção de Provas), a qual ele interpretou como sendo a indicação de que faltava apenas uma volta para o termino da prova, já que ele estava sem comunicação de rádio com a equipe, se valendo apenas das informações visuais dadas pelos fiscais de pista nos postos de sinalização, mas na verdade a placa era uma de advertência para o carro numeral 1 de Evandro Camargo, o que levou Lemonias a poupar o carro, pois a vantagem era razoável em relação ao segundo colocado e Domenech, que passou a imprimir um ritmo mais forte chegando a cravar por mais de uma vez a volta mais rápida da prova. Quando Lemonias completou a nona volta, o Opala numeral 17 já estava em seu retrovisor, chegando ao final da reta dos boxes praticamente junto com Grego.

"Grego" Lemonias (abaixo), que tinha uma vantagem considerável, foi traído por uma placa de sinalização. Foto: Humberto Silva/OSR

Nas duas últimas voltas Domenech e Lemonias duelaram curva a curva até a chegada, com o Opala numeral 17 recebendo a bandeira quadriculada apenas 0s038 à frente de Grego. Porém, a direção de provas puniu o opala numeral 18 por queima de largada, acrescentando 20 segundos ao tempo total de prova de Lemonias. Com isso, Felipe Matos subiu para a segunda colocação, Marcos Phillipi, que também fez uma excelente prova ficou em terceiro lugar, Rodrigo Helal foi o quarto e completando o pódio George Lemonias o quinto e Matheus Martins o sexto.

Domenech recebeu mais uma vez a bandeira quadriculada em primeiro lugar. Foto: Humberto Silva/OSR

Pela Old Man, classe para pilotos da Old Stock Race acima de 55 anos, a vitória foi de Marcos Philippi, Grego Lemonias foi o segundo, Ciro Paciello o terceiro e Pimenta o quarto colocado.

Na Opala 250, Konrad Viehmann conseguiu ultrapassar Cristian Cordeiro (acima) e foi o vencedor de mais uma prova, sua terceira na temporada, com Eduardo Conradt ficando em segundo, Carlos Freire foi o terceiro, Perseu Alarcon o quarto e completando o pódio, Cristiano Cordeiro foi o quinto e Giovani Almeida o sexto. 

Viehmann cruzou novamente em primeiro, somando 60 pontos no final de semana. Foto: Humberto Silva/OSR

As categorias voltam para mais uma etapa, a quinta da temporada no dia 22 de novembro, em Interlagos e com grande expectativa de liberação das arquibancadas para o público amante do automobilismo, resta aguardarmos a decisão dos dirigentes do Autódromo e os órgãos de saúde.

Os Opalas e Caravans da Old Stock Race e Opala 250 são equipados com pneus Pirelli, discos de freio Fremax e pistões AFP

Fotos: Humberto Silva/OSR - Sergio Rodrigues - Assessoria de Imprensa

Leia a história do Chevrolet Opala

Montagem: Francis Castaings - Texto e fotos: Old Stock Race

© Copyright - Site http://www.retroauto.com.br - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos. Role a página para ver as etapas de 2020

Volte a página principal do site.


Terceira etapa: Rafael vence as duas na geral, Konrad e Giovani faturam pela Opala 250

O piloto do Opala 54 venceu de ponta a ponta as duas provas na Old Stock Race e na Opala 250 o estreante Konrad Viehmann venceu a primeira prova e Giovani Almeida faturou a segunda bateria.

Largada da primeira prova, mais de 30 carros inscritos. Foto: Humberto Silva/OSR 

Em mais uma etapa com portões fechados obedecendo os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades de saúde, a organização das duas categorias realizou mais uma etapa, a terceira do ano com um número recorde de grid, tendo 33 carros inscritos para o final de semana, apesar de problemas durante os treinos ter deixado alguns carros de fora das disputas no Domingo (13).

Primeira prova: Helal e Lemonias duelaram nas duas provas, curva a curva. Foto: Humberto Silva/OSR

Largando na pole, Rafael Lopes, o atual campeão manteve na primeira curva e Rodrigo Helal, pulou da segunda fila para primeira ultrapassando George Lemonias que se manteve em terceiro, mas sem deixar Helal se distanciar e fazendo a ultrapassagem ainda na primeira volta, retomando sua posição de largada. Durante a prova enquanto Rafael tinha o caminho livre, vários pelotões se formaram, com disputas muito acirradas, com destaque para o choque entre Ricardo Domenech do Opala 17 e Marco Maragno, do Opala 9, na curva da junção, fazendo os dois perderem algumas posições na quarta volta.

Lopes se manteve o tempo a uma distancia segura dos adversários diretos e a briga pela segunda colocação foi um capitulo a parte ate o final da prova. Na última volta os dois pilotos passaram ao confronto mais acirrado curva a curva com direito a um toque na junção, subindo para a bandeirada lado a lado. Lemonias conseguiu manter a posição, chegando em segundo, deixando o terceiro lugar do pódio para o piloto do carro 113. Marcos Philippi ficou em quarto, Felipe Matos, atual líder da temporada, em quinto e Evandro Camargo em sexto. Lopes cruzou em primeiro, faturando 30 pontos.  Foto: Humberto Silva/OSR

Confira abaixo o resultado da primeira corrida da Old Stock Race: 

  • 1- 54 Rafael Lopes
  • 2- 18 Georges Lemonias
  • 3- 113 Rodrigo Helal
  • 4- 64 Marcos Philippi
  • 5- 93 Felipe Mattos
  • 6- 1 Evandro Camargo
  • 7- 9 Marco Maragno
  • 8- 17 Ricardo Domenech
  • 9- 11 Molly Robson
  • 10- 7 Amaury Biem

Na disputa pelo segundo lugar, Lemonias superou Helal.  Foto: Humberto Silva/OSR

Pela Opala 250 o estreante Konrad Viehmann com a Caravan 73 largou muito bem e passou a duelar de igual para igual com outra Caravan, a de numeral 43 do piloto Thiago Lourenço durante as primeiras voltas. Konrad se deu melhor e conseguindo manter a frente na disputa vencendo a primeira prova.Thiago Lourenço foi o segundo, Giovani Almeida o terceiro. Completando o pódio Christian Cordeiro ficou em quarto, Edu Conrad em quinto e Perseu Alarcon em sexto. Konrad Viehmann cruzou em primeiro pela Opala 250.  Foto: Humberto Silva/OSR

Confira o resultado da primeira prova da Opala 250

  • 1- 73 Konrad Viehmann
  • 2- 43 Thiago Lourenço
  • 3- 37 Giovani de Almeida 
  • 4- 333 Christian Cordeiro
  • 5- 122 Eduardo Conradt
  • 6- 68 Perseu Alarcon
  • 7- 331 Cristiano Julio
  • 8- 14 Roberto Correia
  • 9- 88 Renato Braz Gaspar
  • 10- 28 Carlos Freire

O estreante vencedor da Opala 250 e sua Caravan numera 73.  Foto: Humberto Silva/OSR

Segunda prova:

Largada da segunda prova, os líderes ditam o ritmo antes das luzes se apagarem. 

Na largada Rafael manteve a ponta e, logo no final da reta dos boxes, Georges Lemonias não conseguiu segurar o Opala 113 de Rodrigo Helal, que contornou a primeira perna a sua frente, indo atrás do líder. Marcos Philippi e Felipe Matos também encostaram no pelotão passando a atacar os ponteiros, Ricardo Domenech chegou no pelotão e foi pra cima do líder do campeonato, porém, não conseguiu frear no final da reta atingindo a proteção de pneus na segunda perna do "S do Senna" perdendo muitas posições.

Lopes não teve dificuldade para se manter na liderança ate o final da prova, vencendo a segunda do dia. A disputa pelo segundo lugar novamente foi definida apenas na última volta e pelos mesmos protagonistas da primeira bateria, desta vez com Helal cruzando a linha de chegada em segundo e Lemonias terminando a prova em terceiro. Completando o pódio, Marcos Philippi em quarto, Felipe Matos em quinto e Evandro Camargo em sexto. Lopes repetiu o feito na primeira prova, faturando mais uma.  Foto: Humberto Silva/OSR

Confira o resultado da segunda prova:

  • 1- 54 Rafael Lopes
  • 2- 113 Rodrigo Helal
  • 3- 18 Georges Lemonias
  • 4- 64 Marcos Philippi
  • 5- 93 Felipe Matos
  • 6- 1 Evandro Camargo
  • 7- 9 Marco Maragno
  • 8- 7 Amaury Biem
  • 9- 11 Wilson Rashid
  • 10- 89 Moises Santos

No pelotão intermediário os pilotos da Opala 250 também deram show, com vários carros no mesmo ritmo formado pelas Caravan 333 de Christian Cordeiro e a de numeral 73 de Konrad Viehmann juntamente com o Opala 37 de Giovani Almeida.

Em um erro de Konrad, Christian seguiu em frente trazendo junto o Opala 37, mas Almeida ultrapassou Cordeiro, vencendo a prova com seu Opala 37. Perseu Alarcon foi o segundo, Eduardo Conradt o terceiro, Konrad Viehmann o quarto, Carlos Freire o quinto e completando o pódio Rogério Mendes em sexto. Giovani Almeida venceu pela Opala 250.  Foto: Humberto Silva/OSR

Confira o resultado da segunda prova da Opala 250 

  • 1- 37 Giovani Almeida
  • 2- 68 Perseu Alarcon
  • 3- 122 Eduardo Conradt
  • 4- 73 Konrad Viehmann
  • 5- 28 Carlos Freire
  • 6- 72 Rogerio Mendes
  • 7- 43 Rodrigo Silva
  • 8- 239 Antonio Paiva
  • 9- 88 Renato Braz Gaspar
  • 10- 33 Ramon Sala













Os Opalas e Caravans da Old Stock Race e Opala 250 utilizam Pneus Pirelli, Discos de Freio Fremax e Pistões AFP. 

  • Old Stock Race – A Emoção Está de Volta!
  • Opala 250 - A Forja de Campeões
  • Fotos: Humberto Silva/OSR
  • Sergio Rodrigues/OSR
  • Comunicação Old Stock Race

Leia a história do Chevrolet Opala

Montagem: Francis Castaings - Texto e fotos: Old Stock Race

© Copyright - Site http://www.retroauto.com.br - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos. Role a página para ver as etapas de 2020

Volte a página principal do site.

Old Stock Race e Opala 250 de volta a Interlagos

Depois de quase cinco meses de interrupção por conta da pandemia que assolou o mundo, o  Domingo (9) marcou a volta do automobilismo paulista unindo Old Stock Race e Opala 250 com 28 carros compondo o grid para a primeira prova, que mesmo sem a presença do público nas arquibancadas foi emocionante dentro da pista.

Mantendo todas as medidas sanitárias, incluindo a realização de teste de COVID19 antes de acessar o autódromo, uso obrigatório de mascara e álcool em gel distribuído em diversas partes do paddock e boxes, pilotos e equipes mantiveram o protocolo exigido pela direção do Autódromo e FASP e em todas as largadas, uma faixa homenageando o diretor de provas Marcus Ramaciotti, falecido no mês de abriu era estendida em frente ao grid.

Em todas as largadas, a faixa em homenagem ao Diretor Marcus Ramaciotti.

Terminadas as homenagens, os carros partiram para a volta de apresentação e na largada quatro carros ficaram emparelhados no final do S do Senna, o pole Rafael Lopes #54, Marco Maragno #9, Rodrigo Helal #113 e por fora Felipe Matos, que escapou na curva, saindo pela área verde contornando a curva do Sol em primeiro, mas na freada do laranjinha Lopes voltou à liderança, com Rodrigo Helal e agora Ricardo Domenech que ultrapassou Maragno na reta oposta, formando o pelotão da frente.

Largada da Primeira Prova, 28 carros em duas categorias. Foto: Humberto Silva/OSR

Enquanto Lopes duelava com Helal pela liderança, Domenech, Matos e Maragno tentavam curva a curva ver quem conseguiria a terceira posição. Rafael não conseguiu abrir uma boa distância dos seus adversários, sempre seguido de perto por Helal e um pouco mais afastado Domenech, cenário que se manteve por mais de seis voltas da prova, quando começaram a aparecer retardatários, tanto da categoria, quanto da Opala 250 e Rafael fez a ultrapassagem sem problemas trazendo Helal junto, porém o Opala 54 começou a apresentar problemas de freio e no final da reta principal Lopes chegou a escapar da pista no S do Senna mas mantendo a liderança, ate que na curva do lago, uma nova escapada levando o Opala 54 a fazer a curva pela área externa, abrindo assim passagem para o opala 113 de Rodrigo, que assumiu a ponta, com o opala 17 em sua perseguição. Lopes abandonou a prova em seguida indo parar na caixa de brita.

Lopes com problemas de freio, abandonou na nona volta. Foto: Humberto Silva/OSR

Rodrigo Helal manteve a ponta conquistando mais uma vitoria, ficando Ricardo Domenech em segundo e Marco Maragno em terceiro, completando o pódio Felipe Matos foi o quarto, Daniel Kelemen o quinto e Molly Robson o sexto.

Confira como ficou o resultado da primeira prova da Old Stock Race:

  • 1) 113 - Rodrigo Helal em 24min32s188
  • 2) 17 - Ricardo Domenech a 0s986
  • 3) 9 - Marco Maragno a 14s879
  • 4) 93 - Felipe Mattos a 17s500
  • 5) 451 - Daniel Kelemen a 22s661
  • 6) 11 - Molly Robson a 44s508
  • 7) 7 - Amaury Biem a 44s952
  • 8) 31 - Glauco Barros a 52s762
  • 9) 333 - Ciro Paciello a 55s013
  • 10) 777 - Rogerio Barbato a 58s866

Rodrigo Helal vencedor da primeira prova. Foto: Humberto Silva/OSR

Pela categoria Opala 250, Thiago Lourenço largou na frente com sua Caravan numeral 43 e durante a prova conquistou varias posições, sempre seguido de perto por Giovanni Almeida #37, Eduardo Conradt #122 e Perseu Alarcon #68, formando o pelotão de frente, hora duelando entre eles, hora com carros da Old Stock. Lourenço cruzou a linha de chegada em 11º colocado na geral e venceu pela Opala 250, Perseu Alarcon foi o segundo, Eduardo Conradt o terceiro e completando o pódio Alberto Scarasati #333 em quarto, Giovanni Almeida em quinto e Sandro Sproesser #222 em sexto.

Confira abaixo o resultado da primeira prova da Opala 250:

  • 1) 43 - Thiago Lourenço em 25min42s895
  • 2) 68 - Perseu Alarcon a 4s542
  • 3) 122 - Eduardo Conradt a 10s681
  • 4) 333 - Alberto Scarasati a 24s035
  • 5) 37 - Giovani de Almeida 24s667
  • 6) 222 - Sandro Sproesser a uma volta
  • 7) 239 - Antonio Paiva a uma volta
  • 8) 72 - Rogerio Mendes a uma volta
  • 9) 19 - Leonardo Queiroz a duas voltas
  • 10) 331 - Cristiano Julio a três voltas

Thiago Lourenço e sua "Gorda 43" venceram pela Opala 250. Foto: Humberto Silva/OSR

Na segunda prova Helal largou na frente do grid com Ricardo Domenech ao seu lado, Felipe Matos, que largou na segunda fila, conseguiu se posicionar para a disputa da freada chegando para formar uma linha de três carros no final da reta principal de Interlagos, na saída da curva do Sol, Helal se manteve fazendo o contorno do lago em primeiro, até o Opala 133 escapar na subida da curva do laranjinha e Domenech assumir a ponta, com Matos também ultrapassando Helal e indo agora atrás do líder. Thiago Lourenço, que venceu a primeira prova pela Opala 250 manteve a posição na largada e passou a perseguir os Opalas da frente.

Largada da Segunda Prova, Helal e Domenech na ponta. Foto: Humberto Silva/OSR

No pelotão intermediário Marcos Philippi do carro 64, Amauri Biem numeral 7 e Pedro Pimenta do carro 451 chegaram juntos no S do Senna, quando Biem, que vinha por dentro, escapou indo de ré para a área gramada e Pimenta, tentando desviar por trás, foi atingido pelo Opala numeral 7, comprometendo sua prova. Marcos Philippi conseguiu passar ileso e seguiu na pista em quarto. Pimenta ainda devolveu o carro ao traçado e continuou por mais uma volta, mas teve que abandonar sem condições de seguir na competição.

Na sétima volta, Glauco Barros do Opala 31, que vinha no pelotão intermediário teve problemas no freio com a quebra de disco e acertou Amaury Biem do Opala 7 na junção e ambos tiveram que abandonar a prova, ocasionando uma bandeira amarela em todo o circuito, reagrupando os carros.

Old Stock e Opala 250 pela primeira vez juntos na pista. Foto: Humberto Silva/OSR

Na relargada Felipe Matos foi pra cima de Ricardo Domenech trazendo com ele Rodrigo Helal, Glaucio Doreto e Thiago Lourenço. Evandro Pelati do Opala 11 também fez uma boa relargada disputando a freada do S do Senna com Lourenço chegando a colocar meio carro à frente na entrada da curva do Sol, mas sem concluir a ultrapassagem. Helal e Matos trocaram de posição mas o piloto do Opala 113 conseguiu retomar o segundo lugar. Thiago, que vinha na quinta posição geral, conseguiu ultrapassar Doreto, colocando a Caravan 43 da Opala 250 entre os quatro primeiros no pódio da geral.

Ricardo Domenech foi o vencedor, com Rodrigo Helal em segundo e Felipe Matos em terceiro. Completando o pódio Glaucio Doreto em quarto, Ciro Paciello em quinto e Evandro Pelati em sexto colocado.

Confira abaixo o resultado completo da segunda prova da Old Stock Race:

  • 1) 17 - Ricardo Domenech em 26min14s908
  • 2) 113 - Rodrigo Helal a 1s467
  • 3) 93 - Felipe Mattos a 6s316
  • 4) 89 - Glaucio Doreto a 14s259
  • 5) 333 - Ciro Paciello a 14s454
  • 6) 11 - Evandro Pelati a 14s694
  • 7) 12 - Fabio Mencarelli a 14s924
  • 8) 22 - Ricardo dos Santos a 1min43s215
  • 9) 7 - Amaury Biem a cinco voltas
  • 10) 31 - Glauco Barros a cinco voltas

Ricardo Domenech, venceu a segunda prova na Old Stock Race. Foto: Humberto Silva/OSR

Pela Opala 250, Thiago Lourenço que já tinha faturado a primeira prova venceu novamente, ficando o segundo lugar com Giovani de Almeida e o terceiro com Perseu Alarcon, completando o pódio da categoria, Cristian Cordeiro com o carro 333 ficou em quarto, Rafael Queiroz terminou em quinto e Eduardo Conradt em sexto

Confira abaixo o resultado completo da segunda prova da Opala 250:

  • 1) 43 - Thiago Lourenço em 26min26s398
  • 2) 37 - Giovani de Almeida a 5s783
  • 3 )68 - Perseu Alarcon a 6s831
  • 4) 333 - Cristian Cordeiro a 7s559
  • 5) 19 - Rafael Queiroz a 1min13s108
  • 6) 122 - Eduardo Conradt a 1min16s859
  • 7) 222 - Sandro Sproesser a 1min20s381
  • 8) 239 - Antonio Paiva a uma volta
  • 9) 72 - Rogerio Mendes a uma volta
  • 10) 331 - Cristiano Julio - sem tempo

Thiago Lourenço, venceu também a segunda prova pela Opala 250. Foto: Humberto Silva/OSR

A terceira etapa do Campeonato tem data provisoriamente agendada para os dias 11, 12 e 13 de Setembro nos mesmos moldes e seguindo ainda os protocolos sanitários vigentes.

Os Opalas e Caravans da Old Stock Race e Opala 250 utilizam Pneus Pirelli, Discos de Freio Fremax e Pistões AFP. 

  • Old Stock Race – A Emoção Está de Volta!
  • Opala 250 - A Forja de Campeões
  • Fotos: Humberto Silva/OSR
  • Sergio Rodrigues/OSR
  • Comunicação Old Stock Race


Leia a história do Chevrolet Opala


Montagem: Francis Castaings - Texto: Old Stock Race

© Copyright - Site http://www.retroauto.com.br - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos. Role a página para ver as etapas de 2020

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Volte a página principal do site.

Rafael Lopes e Ricardo Alvarez vencem a primeira etapa do ano

Em duas provas de tirar o fôlego a Old Stock Race agitou o domingo em Interlagos com arquibancadas repletas de amantes dos clássicos do automobilismo nacional que vieram de várias cidades e estados com amigos e familiares, para participar da festa de abertura do campeonato.

Clima de confraternização nas arquibancadas e na pista os pilotos alinhados para a abertura de mais uma temporada, a quinta da categoria. Após duas voltas de apresentação o Safety Car se recolheu e com bandeira verde, cinco carros se juntaram ao pole position da etapa Grego Lemonias no final do S do Senna: Pedro Gomes, Evandro Camargo, Ricardo Alvarez, Pedro Pimenta e Rafael Lopes, mas o líder conseguiu contornar a primeira curva na frente e em segundo Evandro Camargo se destacou no pelotão, mas Pimenta conseguiu ultrapassar o terceiro colocado e foi em busca de Evandro, deixando para traz o piloto do carro numeral 1.

Quem também avançou e conquistou varias posições foi Rodrigo Helal, que passou a integrar o pelotão da frente, agora formado por Lemonias, Pimenta, Camargo, Philippi, Rafael Lopes e ele. Passadas algumas voltas, Lopes conseguiu ultrapassar o Opala 64 de Marcos Philippi e também Evandro Camargo, partindo para cima dois primeiros da prova, até emparelhar se com os Opalas 18 e 547 na subida do laranjinha proporcionando uma das melhores disputas já vistas na categoria, levantando o público presente no autódromo e na disputa, Pedro por dentro levou vantagem e Grego, que tinha ficado “espremido”entre os dois carros, perdeu também a posição para Rafael Lopes, que partiu para cima de Pimenta conseguindo a ultrapassagem indo em busca de mais uma vitória na categoria.

Faltando três voltas para o final, Helal Pimenta e Lemonias formaram um novo pelotão alternando as posições com vários toques entre os três e a direção de provas entendeu como atitude anti desportiva, punindo primeiramente os opalas 18 e 113 com 20 segundos acrescidos no tempo final de prova, mas substituindo a punição em seguida pela desclassificação dos dois carros e com isso, Evandro Camargo que era o quinto, finalizou a prova em terceiro, tendo à sua frente Pimenta em segundo e o vencedor Rafael Lopes.

Completando o pódio, Pedro Gomes do opala 22 em quarto, Felipe Mattos do opala 93 em quinto e Marcos Philippi com o numeral 54 em sexto.

Confira abaixo o resultado completo da primeira prova:

  1. 547 Rafael Lopes em 24min58s680
  2. 451 Pedro Pimenta a 11s998
  3. 1 Evandro Camargo a 12s648
  4. 22 Pedro Gomes a 17s460
  5. 93 Felipe Mattos a 20s025
  6. 64 Marcos Philippi a 22s707
  7. 3 Ricardo Alvarez a 28s746
  8. 9 Marco Maragno a 29s100
  9. 12 Fabio Mencarelli a 1min10s343
  10. 777 Rogerio Barbato a 1min31s807

A prova de complemento da primeira etapa teve o estreante Kleber “Eletric” Barcelos, parceiro de Rafael Lopes para esta temporada, ocupando a primeira posição no grid, com Daniel Kelemen, que agora também corre em dupla com Pedro Pimenta completando a primeira fila.

Já na largada, Kelemen foi ultrapassado por Felipe Matos que pulou de quinto para segundo trazendo com ele Ricardo Alvarez, Evandro Camargo e Marcos Philippi. Matos fez a ultrapassagem sobre Eletrick no final da reta principal na abertura da segunda volta, enquanto Marcos Philippi e Ricardo Alvarez ultrapassaram Evandro Camargo, mas no laranjinha Philippi abriu demais a curva, cedendo a posição para Alvarez que agora partiu em busca dos lideres.

Lemonias que largou em último passou na segunda volta em sexto lugar, chegando a ficar em quarto, posição que manteve ate o final da prova. Helal, que também cumpriu punição na primeira prova, teve o mesmo desempenho, ficando em sexto lugar no final da prova enquanto que o segundo pelotão teve disputas acirradas para saber quem completaria o pódio da prova.

Lá na frente, Alvarez e Eletrick fizeram uma prova à parte alternando a liderança curva a curva durante praticamente todo o tempo e na ultima volta Alvarez se aproveitou de uma escapada de Kleber na saída do lago e tomou a frente, com seu adversário insistindo ainda na ultrapassagem, mas Ricardo se manteve na ponta, cruzando a linha de chegada em primeiro. Completando o pódio Felipe Matos ficou em terceiro, Grego Lemonias em quarto, Marcos Philippi em quinto e Rodrigo Helal em sexto.

Abaixo o resultado completo da segunda prova:

  1. 3- Ricardo Alvarez com 25min03s793
  2. 547-Kleber “Eletric” Barcelos a 0s832
  3. 93 Felipe Mattos a 4s747
  4. 18 Georges Lemonias a 14s847
  5. 64 Marcos Philippi a 15s389
  6. 113 Rodrigo Helal a 15s479
  7. 451 Daniel Kelemen a 21s667
  8. 38 Vinicius Pimentel a 45s141
  9.  33 Ciro Paccielo a 49s972
  10. 7 Amaury Biem a 56s780

As duas provas da etapa tiveram a transmissão ao vivo pelo Youtube e a reprise pode ser vista em nosso canal oficial clicando no link www.youtube.com.br/oldstockraceoficial

Os Opalas da Old Stock Race voltam ao Autódromo de Interlagos dia 17 de Maio para as emoções da segunda etapa da temporada 2020

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Sobre a OLD STOCK RACE

A Old Stock Race é uma categoria que vem resgatar o espírito das corridas de automóveis. Com um apelo retro, a categoria funciona como um museu de acervo dinâmico. Para os apaixonados pela memória do automobilismo brasileiro e para todos aqueles que não tiveram oportunidade de acompanhar a categoria, a Old Stock Race recria e traz para a atualidade o cenário que marcou uma época heróica. Totalmente despidos das tecnologias de hoje, grandes campeões como Paulo Gomes, Ingo Hoffman, Chico Serra, Zeca Giaffone, Raul Boesel e Alencar Jr., assim como outros tantos, protagonizaram grandes pegas nas pistas.

A Old Stock Race é disputada em caráter de campeonato regional, com um regulamento que visa manter equilíbrio entre os carros e baixos custos operacionais, permitindo assim um grande número de carros inscritos em seu grid, trazendo novamente disputas acirradíssimas e levando ao grande público as mesmas emoções vividas nos anos 70.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Old Stock Race – A Emoção Está de Volta!

Os Opalas da Old Stock Race são equipados com Pneus Pirelli, Discos de Freio Fremax e Pistões AFP

Fotos: Humberto Silva/OSR

Montagem: Francis Castaings - Texto: Old Stock Race

© Copyright - Site http://www.retroauto.com.br - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Volte a página principal do site.