Stock Car Brasil: Com Ecclestone na plateia, ex-F-1 Zonta e argentino Rossi vencem no Velocitta.

Stock Car Brasil: Com Ecclestone na plateia, ex-F-1 Zonta e argentino Rossi vencem no Velocitta.

Zonta voltou a vencer, argentino triunfou pela primeira vez na Stock Car e Barrichello foi o maior pontuador da etapa. Gabriel Casagrande retoma liderança do campeonato

A Stock Car viveu mais um domingo (15) especial e histórico no Autódromo Velocitta. Com direito à presença de Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1, na plateia, a maior categoria do automobilismo na América Latina presenteou o fã do esporte a motor com duas grandes corridas. Na primeira prova, Ricardo Zonta fez valer a pole position e rumou para o topo do pódio com o Toyota Corolla da RCM Motorsport, voltando a triunfar no Velocitta depois de quase um ano. Já na disputa complementar, Matías Rossi (abaixo) escreveu seu nome na história dos vencedores da Stock Car depois de ter suportado a forte pressão do tricampeão Ricardo Maurício e cruzar a linha de chegada com o Corolla da A.Mattheis-Vogel.

Foi a primeira vez que um piloto argentino venceu uma prova normal da Stock Car. Em 22 de março de 2015, Néstor ‘Bebu’ Girolami triunfou na Corrida de Duplas ao lado de Ricardo Maurício. Em maio de 2021, Interlagos viu o triunfo do português António Félix da Costa. Novamente Ricardinho aparece na história, já que o piloto da Eurofarma RC, então positivado para Covid-19, foi substituído pelo lusitano.

Rubens Barrichello também brilhou muito neste domingo. Depois de se emocionar com as corridas do filho Fernando no BRB Fórmula 4 Brasil, o campeão de 2014 conquistou dois pódios: segundo lugar na prova 1 e terceiro na Corrida 2. Desta forma, o piloto do Corolla #111 da Full Time Sports marcou 44 pontos e conquistou o prêmio Claro 5G Man of the Race como o maior pontuador da etapa.

De volta ao topo — A oitava vitória de Ricardo Zonta, a segunda seguida no Velocitta, foi conquistada na base da experiência. O paranaense de 46 anos largou na frente e manteve a dianteira durante praticamente toda a prova, que foi bastante agitada do segundo lugar para trás.

A Corrida 1 teve alguns fatos marcantes: o incidente que tirou de combate César Ramos, um dos nomes do fim de semana até então, a batalha entre Guilherme Salas e Rubens Barrichello e novamente Rubinho, depois de passar Felipe Lapenna e conquistar a segunda posição. Com o Chevrolet Cruze da Hot Car, Lapenna (abaixo)conquistou ótimo resultado e finalizou em terceiro. Outro destaque foi a recuperação de Daniel Serra, que largou em 13º e terminou em sexto lugar.

“Foi ótimo! Eu gosto muito daqui. Achamos uma linha de trabalho em que o carro esteve fantástico, tanto na classificação como na Corrida 1, muito rápido”, sublinhou o curitibano, que lamentou o incidente com Gabriel Casagrande (abaixo) na segunda prova. “Não sei o que aconteceu, mas é uma pena porque a pontuação era muito importante para mim. Mas ainda estamos no começo. Estou muito otimista e com muita energia para chegar no fim de semana de corrida e brigar por pole e vitória de novo”, completou.

Uma vitória histórica — Décimo colocado na Corrida 1, Bruno Baptista (abaixo no carro 44) largou na frente da segunda prova, lado a lado na primeira fila com Matías Rossi. O piloto da RCM, que estreou pintura laranja no carro e comemorou dez anos de carreira neste fim de semana, liderou a primeira parte da corrida e despontou como favorito à vitória. Mas tudo mudou depois da janela com os pit-stops obrigatórios.

Com grande trabalho nos boxes da A.Mattheis-Vogel, ‘El Mísil’ assumiu a ponta, seguido por Ricardo Maurício, Rubens Barrichello e Bruno Baptista. As últimas voltas foram eletrizantes, sobretudo por conta da forte pressão de Ricardinho em cima de Rossi. Mas o argentino de 38 anos resistiu e venceu pela primeira vez na Stock Car. Um triunfo que veio na raça e sem uso do push-to-pass após superar um princípio de incêndio antes de alinhar no grid.

Tony Kanaan marcou seu melhor resultado na categoria ao finalizar a prova em quinto, seguido por Diego Nunes, que lutou pela vitória durante parte da disputa. Destaque também para Sergio Jimenez, que começou a etapa em último no grid em razão de uma punição e terminou em oitavo no dia do aniversário de 38 anos. Serrinha (abaixo) e Nelsinho Piquet também garantiram posições de top-10 nas duas corridas.

“Estou feliz demais com minha primeira vitória na Stock Car. Uma categoria muito difícil e muito competitiva pelo nível das equipes e dos pilotos. Para vencer, tem que dar tudo certo. Só tenho de agradecer à A.Mattheis-Vogel pelo trabalho feito desde a primeira corrida. Não pensei que pudesse vencer hoje, principalmente pela classificação ruim ontem, mas fizemos um bom trabalho na corrida, com ótima estratégia, e deu certo”, descreveu o piloto nascido em Buenos Aires.

Liderança muda de mãos… de novo — Atual campeão, Gabriel Casagrande marcou um quarto lugar na Corrida 1 e foi o 11º na segunda prova da etapa. Com 29 tentos somados neste domingo, o companheiro de equipe de Matías Rossi voltou à liderança do campeonato, condição que havia perdido depois da etapa do GP Galeão. Daniel Serra, que chegou a Mogi Guaçu como líder do campeonato com 1 ponto de vantagem sobre Casagrande, agora está justamente 1 ponto atrás do campeão, com 126.

Casagrande, contudo, entende que sua situação no campeonato poderia ser ainda melhor. “Foi bom pelo fato de ter voltado à liderança, mas ruim porque poderíamos ter feito mais pontos. O incidente na Corrida 2 me colocou três ou quatro posições para trás. Mas estou contente por conseguir levar o carro até o fim, mesmo com pneu furado depois da batida. Estou muito feliz pela vitória do Matías, feliz pela equipe, que trabalhou muito bem, com dois carros bem rápidos. Vamos trabalhar pra seguir na frente”, disse o dono do Cruze #83. Abaixo Ricardo Zonta.

Barrichello aparece em terceiro na tabela, com 100 pontos, seguido por Ricardo Maurício, com 94 e por Bruno Baptista, com 83. Gaetano Di Mauro, Thiago Camilo, Ricardo Zonta, Guilherme Salas e Cesar Ramos completam o top-10 do campeonato, enquanto Matías Rossi aparece em 11º.

A Stock Car volta a acelerar nos dias 2 e 3 de julho para uma rodada dupla no Autódromo Velopark, em Nova Santa Rita, Rio Grande do Sul.

Resultado final da Corrida 1 (dez primeiros):

  • 1º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla), 20 voltas
  • 2º – Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla), a 3s356
  • 3º – Felipe Lapenna (Hot Car Competições/Chevrolet Cruze), a 4s116
  • 4º – Gabriel Casagrande (A.Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze), a 5s519
  • 5º – Guilherme Salas (KTF Racing/Chevrolet Cruze), a 7s243 (abaixo)
  • 6º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze), a 8s855
  • 7º – Nelson Piquet Jr. (Motul TMG Racing/Toyota Corolla), a 9s835
  • 8º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze), a 11s074
  • 9º – Matías Rossi (A.Mattheis-Vogel/Toyota Corolla), a 11s471
  • 10º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla), a 11s789

Resultado final da Corrida 2 (dez primeiros):

  • 1º – Matías Rossi (A.Mattheis-Vogel/Toyota Corolla), 18 voltas
  • 2º – Ricardo Maurício (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze), a 0s418
  • 3º – Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla), a 1s018
  • 4º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla), a 1s766
  • 5º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla), a 2s363
  • 6º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze), a 3s639
  • 7º – Gaetano Di Mauro (KTF Sports/Chevrolet Cruze), a 4s356
  • 8º – Sergio Jimenez (Scuderia Chiarelli/Toyota Corolla), a 7s364
  • 9º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze), a 8s150
  • 10º – Nelson Piquet Jr. (Motul TMG Racing/Toyota Corolla), a 9s082

Classificação do campeonato depois de quatro etapas:

  • 1º – Gabriel Casagrande, 127 pontos
  • 2º – Daniel Serra, 126
  • 3º – Rubens Barrichello, 100
  • 4º – Ricardo Maurício, 94
  • 5º – Bruno Baptista, 83
  • 6º – Gaetano Di Mauro, 81
  • 7º – Thiago Camilo, 78
  • 8º – Ricardo Zonta, 67
  • 9º – Guilherme Salas, 65
  • 10º – Cesar Ramos, 64 (abaixo)

Bernie Ecclestone na Stock Car

A realização da quarta etapa da temporada 2022 da Stock Car Pro Series trouxe ao Autódromo Velocitta uma ilustre visita. Bernie Ecclestone, ex-diretor executivo da Fórmula 1, é o convidado de honra neste domingo, 15 de maio, em Mogi Guaçu. O lendário dirigente, atualmente com 91 anos, também conheceu de perto os carros e pilotos do novo BRB Fórmula 4 Brasil nesta manhã.

Bernie foi acompanhado por sua esposa, Fabiana Ecclestone, que é a vice-presidente da FIA (Federação Internacional do Automóvel) para a América do Sul. O casal passeou pelos boxes ao lado de Fernando Julianelli, CEO da Stock Car; Giovanni Guerra, presidente da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), e Paulo Henrique Bezerra Rodrigues Costa, presidente do Banco BRB, patrocinador da Stock Car e do F4 Brasil. Logo ao chegar ao Velocitta, Bernie foi abraçado por Felipe Massa.

A primeira parada de Bernie foi nos boxes da mais nova categoria do automobilismo nacional. O mandatário não segurou a curiosidade e entrou no box do primeiro carro que encontrou, do piloto Lucas Staico. Em seguida, foi apresentado à jovem piloto Aurélia Nobels, única mulher no grid do BRB Fórmula 4 Brasil. A norte-americana, que corre pela TMG Racing, mostrou seu F4 ao dirigente e antigo chefe da Brabham na Fórmula 1.

 Bernie se mostrou satisfeito ao saber que todos os carros são da versão mais atualizada da F-4. E disse que a categoria é necessária para que brasileiros possam caminhar rumo à F-1. “100% de chances. A Fórmula 4 tem ajudado a formar novamente pilotos que podem se tornar campeões mundiais. E nós precisamos que o Brasil tenha campeões mundiais de novo”, comentou. O mandatário também ficou feliz ao ver uma jovem piloto presente no grid: “É muito bom ver isso acontecer”, observou.

Sobre a Stock: “Gostei do que vi” – O domingo também representou o reencontro de Ecclestone com pilotos brasileiros que passaram pela Fórmula 1 e que atualmente disputam a Stock Car. Bernie fez questão de visitar os boxes de Nelsinho Piquet na Motul TMG Racing. O piloto foi pupilo de Bernie no início da sua carreira rumo à Fórmula 1.

Mas a visita mais demorada aconteceu no box de Lucas Foresti, da equipe KTF, que foi longamente sabatinado por Ecclestone sobre seu Stock Car. O britânico não se limitou a fazer perguntas, como também fez questão de olhar detalhadamente itens como suspensão, cockpit, carroceria etc.

“É um prazer para mim estar aqui neste evento. É a primeira vez que visito uma categoria como a Stock Car em minhas viagens pelo mundo. E eu gostei do que vi!”, avaliou Ecclestone “A categoria está no rumo certo. Todo mundo aqui busca fazer um bom trabalho. E eu estou bem ansioso para ver a corrida”, concluiu.

Ver ao vivo ou pela televisão é muito bom! Veja como foram as etapas de Curvelo, Minas Gerais em 2016 e 2017

ISSO É MUITO MAIS QUE COMPETIÇÃO. É CONSERVAR EMOÇÃO!

O que é o Push?

O botão de ultrapassagem (push-to-pass) está no lado esquerdo na parte superior do volante e pode ser acionado na corrida pelo piloto. O número de vezes que o botão pode ser usado em cada corrida é decidido pelos organizadores e fiscais de cada prova. Em Curvelo cada piloto da Stock tinha direito a dezesseis mais três votos por internet através de um aplicativo acionado pelos fãs. Na prova de Turismo pode ser usado por doze vezes.

O funcionamento do “Push” consiste na abertura do corpo de borboleta, que controla o fluxo de ar para a admissão. O propulsor funciona com 65% da abertura total. Quando o botão de ultrapassagem é acionado pelo piloto na corrida, a admissão trabalha com 100% de abertura da borboleta por 16 segundos em média. Acionado, o carro fica mais feroz e há um ganho sensível de potência! E se a torcida votar através de um aplicativo no seu piloto favorito, ele ganha outras “acionadas”.

O sistema de luzes que está afixado no para-brisa de policarbonato tem luzes vermelhas e verdes. Veja como será o funcionamento na prova. Ele não é permitido nos treinos.

  • Luz verde acesa: botão de ultrapassagem acionado
  • Luz vermelha acesa: o piloto não pode acionar o botão de ultrapassagem
  • Luz verde e vermelha piscando: piloto acionou o Fan Push
  • Luz vermelha piscando: piloto não pode mais acionar o botão

Os patrocinadores

Texto e fotos VICAR PROMOÇÕES DESPORTIVAS – Departamento de Comunicação – Assessoria de Imprensa – Rodolpho Siqueira/Bruno Vicaria/Leonardo Marson

Montagem: Francis Castaings

© Copyright – Site https://site.retroauto.com.br – Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

Acesse o site Retroauto na versão anterior

Volte a página principal do site