Stock teve tudo em Goiânia: recordes, chegada espetacular, festa e novo líder do campeonato

Stock teve tudo em Goiânia: recordes, chegada espetacular, festa e novo líder do campeonato

Ricardo Maurício venceu por um piscar de olhos a corrida #500 da Chevrolet e Gabriel Casagrande assumiu a ponta da classificação

Disputada no anel externo do traçado de Goiânia, a nona etapa da Stock Car Pro Series teve pelo menos dois grandes nomes: Ricardo Maurício, primeiro a vencer as duas provas de uma etapa desde a estreia deste formato, em 2014, e Gabriel Casagrande, piloto da nova geração que desde o início do ano duela com o tricampeão Daniel Serra pela liderança e que, neste domingo (19), assumiu a ponta da tabela pela primeira vez em sua carreira na categoria.

Vale destacar também Thiago Camilo, que perdeu a vitória para Maurício por apenas 0s010 (dez milésimos), o equivalente a apenas 50 centímetros de pista (isso depois de terem competido durante 75 km de prova). Foi a chegada mais apertada da história da Stock Car (foto de abertura)

Neste domingo Ricardo Maurício cravou outro recorde: é o único piloto da temporada com 100% de aproveitamento. Com seu Chevrolet Cruze, o atual campeão cravou a pole (conquistando dois pontos), venceu a Corrida 01 (30 pontos) e também a prova complementar (24), totalizando 56 pontos. Até então, o maior pontuador vinha sendo Rubens Barrichello, com 92% (52 pontos) na quarta etapa, Velocitta.

Brigas paralelas – Na primeira prova, Ricardinho largou da pole e manteve um ritmo superior até o final, vencendo depois de disputas com Allam Khodair (Cruze) e Ricardo Zonta (Toyota Corolla), que completaram o pódio nessa ordem. Paralelamente, o líder do campeonato Daniel Serra e o vice Gabriel Casagrande (acima) travavam uma disputa particular pela ponta da tabela, mas ambos com muita dificuldade. Casagrande chegou em 14º, um resultado modesto, mas Serra ficou ainda mais atrás: terminou em 18º, o que fez a diferença entre eles cair de seis para dois pontos a favor do tricampeão.

Todos sabiam que na segunda corrida a dupla deveria decidir quem sairia de Goiânia na frente da classificação. E foi o que aconteceu: enquanto Casagrande escalou do 14º lugar para o terceiro, Serra levou uma batida nas primeiras voltas e abandonou uma corrida pela primeira vez na temporada. Com isso, o campeonato passou a ter em Casagrande o novo líder, com 16 de vantagem sobre o Daniel Serra.

Margem intangível – Ricardo Maurício venceu a segunda prova em uma chegada no mínimo espetacular, com ele e Thiago Camilo (acima) ultrapassando o então líder Gabriel Casagrande já na reta de chegada – e ambos decidindo a vitória pela intangível margem equivalente a um décimo do tempo necessário para uma piscada de olhos.

A vitória da segunda prova do dia foi especialmente festiva para a Stock Car: ela marcou a corrida número 500 da Chevrolet, marca fundadora da categoria que permanece como a maior vencedora da principal categoria do Brasil. Os resultados do final de semana recolocaram Ricardo Maurício na briga direta pelo título. Com uma vitória na etapa de sábado e as duas deste domingo (cada etapa tem duas largadas), ele subiu do décimo para o quarto lugar, passando a somar 231 pontos. Rubens Barrichello é o terceiro colocado, com três pontos a mais. Abaixo Julio Campos

A Stock Car Pro Series prevê para este ano mais três etapas, ou seja, seis largadas, com um total de 168 pontos em jogo – deixando a disputa pelo título totalmente em aberto. O próximo compromisso será no dia 24 de outubro, no Velocittá, valendo pela 10ª etapa. Confira o resultado das provas da nona etapa e, também, a pontuação completa.

Classificação após 9 etapas (18 largadas, duas por etapa)

  • 1º – Gabriel Casagrande – 278 pontos
  • 2º – Daniel Serra – 262
  • 3º – Rubens Barrichello – 234
  • 4º – Ricardo Maurício – 231
  • 5º – Cesar Ramos – 218
  • 6º – Ricardo Zonta – 210
  • 7º – Átila Abreu – 205
  • 8º – Thiago Camilo – 199
  • 9º – Bruno Baptista – 184
  • 10º – Allam Khodair – 171

Corrida 1, 9ª etapa

1º – Ricardo Maurício (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 34 voltas (acima)

2º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 3s970

3º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 5s193

4º – Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 10s005

5º – Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla) – 10s844

6º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – a 11s450

7º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 12s431

8º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 13s636

9º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 16s504

10º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 17s702

Corrida 2, 9ª etapa

  • 1º – Ricardo Maurício (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 28 voltas
  • 2º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 0s010
  • 3º – Gabriel Casagrande (A.Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – a 0s510
  • 4º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 1s749
  • 5º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 3s102
  • 6º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 4s539
  • 7º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 4s747
  • 8º – Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 5s924
  • 9º – Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 6s130
  • 10º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 6s360

Stock Car: Rubens Barrichello e Ricardo Maurício vencem no sábado quente de Goiânia

Calor excessivo marca o fim de semana de etapa dupla da Stock Car na capital goiana. Saindo da pole position, Rubens Barrichello liderou de ponta a ponta para vencer pela sexta vez em Goiânia; Ricardo Maurício superou problemas da classificação para vencer a segunda prova.

– Temperatura do asfalto chegou a 53 graus na tarde deste sábado durante a disputa das corridas da oitava etapa;

– Gabriel Casagrande reduz distância para o líder Daniel Serra. Agora são apenas seis pontos de diferença, enquanto Rubens Barrichello sobe para terceiro no campeonato a 47 pontos do líder.

O Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia (GO), registrou neste sábado (18) temperatura máxima ambiente de 36ºC com sensação térmica próxima dos 40 graus. No asfalto, mais calor ainda: 53ºC. Situação já prevista por pilotos e equipes, que trabalharam para amenizar estes efeitos com reforço na refrigeração e hidratação.

E neste cenário, as duas corridas válidas pela oitava etapa foram igualmente quentes. Uma batida múltipla na largada da primeira corrida tirou oito carros da disputa, e apenas 19 dos 31 carros completaram a primeira corrida, que teve vitória praticamente de ponta a ponta de Rubens Barrichello, com Cesar Ramos em segundo e Gabriel Casagrande em terceiro. Líder do campeonato, Daniel Serra foi apenas o 11º. Marcos Gomes, Bruno Baptista, Allam Khodair, Julio Campos, Átila Abreu, Gaetano di Mauro e Ricardo Maurício completaram os dez primeiros que inverteram as posições para a largada da segunda prova.

A segunda largada já aconteceu com mais tranquilidade, apesar do toque entre Felipe Lapenna e Gabriel Casagrande, que jogou o paranaense para a última posição. Ricardo Maurício largou na frente e também soube administrar muito bem os ataques dos adversários e após os pit stops abriu distância confortável na frente para vencer em Goiânia pela segunda vez no ano – na etapa de abertura ele também venceu a Corrida 2.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Stock-Car-Brasil-Goiania-Domingo-2021-4.jpg

Julio Campos (acima) e Átila Abreu completaram o pódio, com Thiago Camilo, Gaetano di Mauro, allam Khodair, Marcos Gomes, Rubens Barrichello, Galid Osman e Daniel Serra fechando os dez primeiros.

A FRAS-LE e a FREMAX são as fornecedoras oficiais de pastilhas e discos de freio da categoria, respectivamente, e trabalham em conjunto com as todas as equipes do grid para assegurar o melhor desempenho, segurança, eficiência e confiabilidade. A Fremax é a fornecedora dos discos desde 2004 e a Fras-le, desde 2016.

Fala, piloto!

“Nem na Malásia, correndo de Fórmula 1, eu senti tanto calor como aqui. Muito quente. Saí do carro debilitado. A água que a gente bebe no carro estava tão quente que parecia que eu estava bebendo direto do bule antes de fazer o café. Mas na primeira corrida a estratégia foi acelerar tudo o que tinha, abrir uma distância para fazer o pit stop e depois até consegui segurar um pouco. O calor foi o maior problema. Dentro do carro foi uma situação bem difícil, e o oitavo lugar na segunda prova foi um prêmio para quem largou em décimo ”. (Rubens Barrichello, Mobil Full Time Sports, Toyota Corolla #111) Pole position e vencedor da Corrida 1

Fala, piloto!

“Primeiro eu gostaria de agradecer toda equipe e a JL, por terem conseguido colocar o meu carro no grid depois do problema que tivemos no classificatório. Nós sabíamos que o carro estava competitivo, estava rápido e fizemos uma boa estratégia. Foi, realmente, uma pena não termos conseguido uma posição melhor na classificação, poderíamos ter levado mais pontos, mas,não podemos ficar tristes com isso,  porque essa vitória foi muito suada e demonstra que a nossa equipe tem muita garra e a não desiste nunca”. (Ricardo Maurício, Eurofarma-RC, Chevrolet Cruze #90) Vencedor da Corrida 2 (abaixo)

A pista de Goiânia na ótica da FRAS-LE & FREMAX

“O traçado tradicional de Goiânia já é desafiador por ser um dos que mais exigem dos freios. Temperatura é um fator que interfere muito na eficiência do conjunto, especialmente por se tratar de um circuito rápido. Com o circuito do anel externo este desafio fica ainda maior. São duas grandes retas, com velocidades finais maiores e frenagens mais intensas, que acabam exigindo ainda mais do sistema. No traçado externo os carros tendem a andar mais próximos uns dos outros nas corridas, o que interfere na refrigeração do freio; isso se torna um desafio não só no conjunto dos freios, mas também para motor e câmbio, que são levados ao extremo pelas altas temperaturas. Goiânia é um circuito que proporciona as situações mais extremas, que mais colocam à prova o sistema de freios: materiais de fricção, discos e pastilhas”. (André Brezolin, engenheiro de projeto FRAS-LE & FREMAX)

Resultado extra-oficial da Corrida 1:

(Circuito misto, 3.835 metros)

  • 1 Rubens Barrichello (Full Time Sports/Corolla)
  • 2 Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Corolla) a 2.230
  • 3 Gabriel Casagrande (AMattheis Vogel Motorsport/Cruze) a 2.384
  • 4 Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Cruze) a 6.107
  • 5 Bruno Baptista (RCM Motorsport/Corolla) a 7.032
  • 6 Allam Khodair (Blau Motorsport/Cruze) a 7.355
  • 7 Julio Campos (Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 8.542
  • 8 Átila Abreu (Shell V-Power/Cruze) a 10.812
  • 9 Gaetano di Mauro (KTF Racing/Cruze) a 12.466
  • 10 Ricardo Mauricio (Eurofarma-RC/Cruze) a 14.828

Resultado extra-oficial da Corrida 2:

(Circuito misto, 3.835 metros)

  • 1 Ricardo Mauricio (Eurofarma-RC/Cruze), 20 voltas
  • 2 Julio Campos (Lubrax Podium Stock Car Team/Cruze) a 6.339
  • 3 Átila Abreu (Shell V-Power/Cruze) a 9.152
  • 4 Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Corolla) a 9.754
  • 5 Gaetano di Mauro (KTF Racing/Cruze) a 13.825
  • 6 Allam Khodair (Blau Motorsport/Cruze) a 14.453
  • 7 Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Cruze) a 14.738
  • 8 Rubens Barrichello (Full Time Sports/Corolla) a 14.794
  • 9 Galid Osman (Shell V-Power/Cruze) a 16.132
  • 10 Daniel Serra (Eurofarma-RC/Cruze) a 16.534

Sobre a FRAS-LE:

No mercado há mais de seis décadas e uma das cinco maiores fabricantes mundiais de materiais de fricção, a Fras-le, que faz parte das Empresas Randon, é uma marca reconhecida globalmente. Com mais de 12 mil referências  nas marcas FRAS-LE & Lonaflex, a empresa coloca ao alcance do consumidor uma linha completa de produtos de fricção da mais alta qualidade, desenvolvidos e testados em seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, um dos  mais bem equipados do mundo, que conta com laboratórios químico, físico, piloto e o Centro Tecnológico Randon, um centro de testes por excelência.

A empresa expandiu seu portfólio com a aquisição, em 2012, da Controil, que fabrica componentes para freios e embreagens e polímeros automotivos. Em 2018, mais 2.500 referências com a marca FREMAX foram incorporadas ao mix de produtos da FRAS-LE, com a aquisição da empresa, que produz discos, tambores de freios e cubos de roda. 

Desde 2016, a Fras-le é a fornecedora oficial das pastilhas de freio dos carros da Stock Car, Stock Light e Mercedes-Benz Challenge.  A FREMAX, desde 2004,  também é a fornecedora oficial dos discos de freio da Stock Car,  assim como das categorias Stock Light, Mercedes-Benz Challenge, Porsche GT3 Cup, Sprint Race e Old Stock

Recentemente, a FRAS-LE concluiu a aquisição da Nakata Automotiva que, dentre os principais itens estão amortecedores, terminais e barras de ligação e direção, pivô e bandejas de suspensão, juntas homocinéticas, componentes de eixos cardan e diferencial.


Volte a página inicial

Veja a prova anterior


Texto e fotos VICAR PROMOÇÕES DESPORTIVAS – Departamento de Comunicação – Assessoria de Imprensa – Rodolpho Siqueira/Bruno Vicaria/Leonardo Marson

Montagem: Francis Castaings © Copyright – Site https://retroauto.com.br/



Veja as provas anteriores

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

© Copyright – Site https://site.retroauto.com.br – Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

Acesse o site Retroauto na versão anterior

Volte a página principal do site