Você sabia? Pequenas notícias, grandes informações:

Você sabia? Pequenas notícias, grandes informações:

Os Lendários esportivos dos anos 90

Pelo décimo ano consecutivo, a revista Youngtimers (revista de automóveis especiais) participou do Salão Rétromobile em Versalhes na França. Para esta 45ª edição de 2020, a revista mensal dedicou aos carros cult das décadas de 1970 a 2000 colocou em cena os lendários carros esportivos dos anos 90, com um representante por nação:

Renault Clio Williams (França), BMW M3 GT E36 (Alemanha) , Alfa Romeo GTV 3.0 V6 24V Cup (Itália), Lotus Elise S1 (Inglaterra), Honda Integra Type R (Japão) e Chevrolet Corvette ZR-1 (Estados Unidos).


Renault Clio Williams (1993-96)

O primeiro título conquistado pela equipe Williams-Renault no final de 1992, com Nigel Mansell e Riccardo Patrese, deu à marca a oportunidade de entrar em cena. Em abril de 1993, o Clio Williams veio à tona. Este modelo visa, por um lado, explorar os sucessos da Fórmula Um comercialmente e, por outro lado, homologar o carro no Grupo A, daí as 2.500 unidades “civis” necessárias e numeradas inicialmente. Estes últimos recebem o motor F7R de 1 998 cm³, desenvolvendo 150 cavalos. O Williams também se destacava por seu vestido de baile: cor Bleu Sport , rodas de alumínio Speedline de 7 polegadas de largura, estofamento específico, carpete azul e logotipos da Williams. Um total de 12.100 unidades foram produzidos, incluindo 5.417 fases numeradas de 1 a 6.683 na fase 2 (incluindo 500 “Campeões Suíços”).


BMW M3 GT E36 (1995)

Apresentado no Salão Automóvel de Paris no final de 1992, o M3 E36 iniciou sua carreira com seis cilindros em linha de 2.990 cm³ e  24 válvulas, desenvolvendo 286 cavalos. Na época, seu lançamento causou um grande impacto porque competia com Ferraris e Porsches contemporâneos, oferecendo maior versatilidade de uso a um preço muito baixo. Em 1995, para fins de corrida, uma versão em série mais refinada foram desenvolvidas: o GT, produzido em 356 unidades (incluindo 10 na França). Você pode vê-lo por sua cor exclusiva British Racing Green, a lâmina aerodinâmica ajustável adicionada sob o spoiler dianteiro e, especialmente, o aerofólio traseiro. Sob o capô, o S50 ganha comando de válvulas mais potente e um sistema Vanos (VANOS : Do alemão “VAriable NOckenwellenSteuerung” (Tradução: Variable Camshaft Timing).  O sistema BMW VANOS permite a sincronização variável do eixo de comando de válvulas do motor. As válvulas de admissão e / ou escape variam em relação ao eixo do comando para otimizar o desempenho do motor em diferentes velocidades do motor. Os primeiros modelos variavam apenas as válvulas de admissão, enquanto os modelos posteriores variam as válvulas de admissão e exaustão otimizado. A potência subiu para 295 cavalos do motor temperamento se torna ainda mais explosivo. Os materiais do chassi de carroceria também são reforçados para melhor estabilidade e comportamento geral do veículo e melhor desempenho.


Lotus Elise S1 (1996-2000)

Quando o Elise foi apresentado no Salão Automóvel de Frankfurt, Alemanha, de 1995, vários observadores ficaram impressionados com o peso anunciado: 690 quilos, mesmo que o número final das primeiras unidades fossem de cerca de 720 quilos, apenas mais quilos do que um Citroën AX básico! De fato, os 118 cavalos do motor Rover “K” são suficientes para impulsionar esse pequeno carro a mais de 200 km/h e especialmente para ir de 0 a 100 km/h em 6,2 segundos e a 1.000 metros em 27,5 segundos. Foram produzidas 8.613 unidades, incluindo algumas séries especiais.


Honda Integra Type R (1998-2000)

Este é um cupê desconhecido e ainda idolatrado por quem o possuiu ou dirigiu. Porque o Integra Type R (tipo DC2) era um cometa, comercializado há apenas três anos pela Honda . Foi lançado apenas na cor branca, combinando rodas marca Enkei de 15 polegadas, volante Momo Daytona e bancos vermelhos Recaro SR. Até o aerofólio discreto se encarrega de anunciar a cor do carro. Porque sob o capô está um motor de 1,8 litros e quatro cilindros com uma potência impressionante: 108 cavalos sem turbo! O despertador opera a 5.700 rpm para uma subida aos picos, a 8.400 rpm. A transmissão está em uníssono (mesmo som) com as conexões com o solo também. Este é um modelo da quarta geração.


Chevrolet Corvette ZR-1 (1990-95)

Em 1986, a General Motors comprou a Lotus e decidiu confiar a engenharia inglesa – que incluía Harvey Jones e Tony Rudd – com o design de um novo motor, denominado LT-5. Para o símbolo, a capacidade do motor (5,7 litros) e o espaçamento do eixo virabrequim foram mantidos, mas muita outras peças mudaram: bloco de alumínio e a cabeçote usinado na Mercury Marine, cilindros de liga leve tratados com Nikasil e dois comandos de válvulas. No menu: 375 cavalos. Apresentado no Salão Automóvel de Genebra, Suíça, em 7 de março de 1989, o ZR-1 não foi oficialmente comercializado até o ano seguinte. Em seis anos de produção (1990-95), as estatísticas mostram 6.939 Corvette C4 ZR-1 produzidas, às quais foram adicionadas 84 unidades pré-série (modelos de 1989), nunca colocadas à venda. Desses, doze foram usados ​​para testes na imprensa europeia na época e depois foram repatriados para os Estados Unidos. O último ZR-1 saiu da fábrica em 24 de abril de 1995. Nota: o ZR-1 nunca foi importado para a França e estima-se que haja cerca de 20 unidades em circulação.


Alfa Romeo GTV 3.0 V6 24V Cup (2001-02)

No final de 1999 e início de 2000, cada cliente da Alfa Romeo poderia ter a oportunidade de participar de uma competição. Bastava enviar uma inscrição a um revendedor da marca e cruzar os dedos para estar entre os 160 fãs selecionados para participar da GTV Cup, criada especialmente para os cavalheiros esportistas (gentleman driver).

Pouco divulgado, esses carros poderiam ter parado por aí. Mas foi sem contar com os alfistas britânicos que se apaixonaram por ela, a ponto de encomendar uma pequena série especial à empresa-mãe! Foi assim que 155 cupês 3.0 V6 24V (numerados de 1 a 155), na cor vermelha Alfa e equipados com volante à direita, atravessaram o Canal da Mancha em 2001. Outros 264 carros foram montados posteriormente com a direção à esquerda, para o resto da Europa.


Texto e montagem Francis Castaings. Fotos do Salão Rétromobile                   

© Copyright – Site https://site.retroauto.com.br – Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

Acesse o site Retroauto na versão anterior. Veja as outras notícias da página “Você Sabia”

Volte a página principal do site