O Rali Dauphiné VHC-VHRS 2024 (Veículos Históricos de Competição) e (Veículos Históricos de Regularidade Esportiva)

O Rali Dauphiné VHC-VHRS 2024 (Veículos Históricos de Competição) e (Veículos Históricos de Regularidade Esportiva)

ASA Drôme organizou o 14º Rallye histórico Dauphiné de 3 a 4 de maio de 2024. Evento sempre 100% Veículos Históricos, sediou o 14º VHC, 13º VHRS e 6º VMRS (Rali de Regularidade esportiva)

VHC: Stéphane POUDREL “TRIUNFO” novamente!

Campo muito escasso para esta 14ª edição em novo formato que aconteceu no único dia de sábado, 4 de maio. A chuva não se convidou e foi sob um céu calmo que os 15 concorrentes partiram às 7h30 para competir em oito magníficas etapas especiais em torno de Die e St Nazaire le Désert.

15 VHC no início

Entre os pilotos conhecidos por serem rápidos e bem armados, notamos a presença de Christophe GUYON-VEUILLET (RENAULT 5 Turbo), Philippe BOUFFIER (RENAULT 5 GT turbo) em seu jardim, Damien URBAIN de volta com um Triumph TR7 V8, Didier BONIN ( BMW M3), Jean Baptiste BOREL (FORD Escort RS) e Antoine SEGARD (também Escort RS).

Mas não importam as adversidades, o clima, as dificuldades do percurso: o Rei STEPHANE, co-pilotado por Sébastien CHOL, não fez concessões e reinou supremo. Ele colocou seu TRIUMPH TR8 no topo da tabela de tempos de cada um dos horários do dia (melhorando 7 de 8 no ano passado). Seus adversários mais próximos, BOUFFIER / VAUCLARE e GUYON / CONDY (este último classificado na categoria “Clássico”), abaixo, perderam força em vão tentando acompanhar seu ritmo.

…e Urbain

O primeiro, rapidamente eliminado ao sair da estrada (sem danos à equipe) e o segundo por uma avaria mecânica no seu bólido que ficou completamente perdido. URBAIN / BOUVIER não conseguiram continuar aprendendo o “modo britânico de dirigir” por muito tempo porque foram parados, depois de alguns momentos interessantes, pela quebra dos pinos de uma roda. Restaram então para os lugares de honra BOREL/SALENSON, SEGARD/D’ONOFRIO e BONIN/BONIN que terminaram nesta ordem depois de terem lutado bem entre si. Eles são seguidos nas categorias scratch combinadas por SALVAN/MAS (BMW 323i) primeiros e únicos sobreviventes no Classic.

Doze carros chegaram ao final. Os participantes elogiaram, como é habitual, a qualidade e competitividade das etapas, incluindo os 30 quilômetros de extensão que constituíram uma espécie de cereja no topo do bolo desta edição. A beleza das paisagens também é unanimemente encantadora e muitos prometem voltar para apreciá-las durante as férias ou fins de semana. Abaixo um Alpine A110

Mas 15 participantes não são suficientes para garantir o equilíbrio financeiro de uma organização que se dedica a oferecer um rali específico aos fãs de veículos históricos. Abaixo um Opel Ascona

Quando conhecemos os orçamentos absurdos necessários para participar em comícios históricos, por vezes prestigiosos, mas que oferecem um menu equivalente, só nos resta questionar as reais motivações e necessidades de alguns pilotos de VHC.

15 Largaram  / 12 classificados

  • 1 1 POUDREL Stephane CHOL Sébastien Triumph TR8 – V8
  • 2 8 BOREL Jean-Baptiste SALENSON Olivier Ford MK II RS

3 7 SEGARD Antoine D’ONOFRIO Marc Ford Escort MK II

4 4 BONIN Didier BONIN Brigitte BMW M3 E30 Conheça a linhagem

Clássico:

1 16 SALVAN Alain MAS Gilles BMW E21 323I Classic

VHRS: BAILLET até o último suspiro!  40 VHRS na partida

43 equipes adeptas da regularidade desportiva, por vezes do outro lado de França, inscreveram-se como especialistas num parque pensado para o prazer, desafiado por 3 equipas belgas, grandes especialistas na disciplina. Mas BAILLET / LECONTE (PORSCHE 911), motivado e concentrado desde os primeiros metros, liderou a corrida do início ao fim à frente de DEFLANDRE / GENGOUX (também 911) que, após uma largada ligeiramente perturbada por alguns problemas de rádio, estava determinado a alcançar o dobrou após a vitória em 2023. Acima um Peugeot 205 GTi

Mas depois de uma jornada notável, eles ficaram 1,1 pontos atrás da equipe francesa! Estes últimos, magníficos na resistência, felizmente não experimentaram as agonias de uma avaria mecânica que os eliminou da luta pela liderança em 2023 (contra os mesmos adversários).

Na intensidade do duelo, estas duas tripulações distanciaram-se dos seus adversários mais próximos que terminaram nesta ordem: LOENS / LOENS (OPEL Kadett GTE), DAUPHIN / GOURSAUD (PORSCHE 911) e FASSIER / CHEYNET (BMW 1800 TI), estes últimos vencedores em uma média baixa. Abaixo um Opel Kadett GTE

Para as médias/altas de velocidades muito esportivos, os vencedores na 15ª posição, HERBETH / JOVER num Porsche 928 S.

40 Largaram / 34 classificados

1 38 I BAILLET Christophe LECONTE Gaëtan Porsche 911

2 37 I DEFLANDRE Yves GENGOUX Baptiste Porsche 911

3 44 I LOENS Philippe LOENS Nicolas Opel Kadett GTE

5 63 B FASSIER Philippe CHEYNET Brigitte BMW 1800 Ti H HERBETH Jean-Louis JOVER Christophe Porsche 928 S 713.


Organização: ASA Drôme Texto: Philippe Champagne ©Christian Guiron. Foto1: POUDREL Stéphane CHOL Sébastien TRIUMPH TR8 V8


SSO É MUITO MAIS QUE COMPETIÇÃO. É CONSERVAR EMOÇÃO! C’EST BIEN PLUS QUE LA CONPETION. C’EST POUR CONSERVER L’ÉMOTION!

Dados: https://www.newsclassicracing.com/

Tradução e montagem Francis Castaings.

© Copyright – Site https://site.retroauto.com.br – Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

Volte a página principal do site