Salão Rétromobile 2023 – O Maior Salão de Automóveis Antigos do Mundo. O passado tem sempre um futuro

Salão Rétromobile 2023 – O Maior Salão de Automóveis Antigos do Mundo. O passado tem sempre um futuro

Os pavilhões 1, 2 e 3. abrigam tesouros automotivos para o deleite dos 130.000 homens e mulheres esperados em todo o mundo. O novo, o extraordinário e o inesperado competirão pela emoção, mas é a paixão que será o denominador comum desta 49ª edição. Venha viajar no tempo e externar sua paixão. Sonhar, admirar, ser informado, investir, conhecer artistas, construtores, clubes, federações, vendedores de peças de reposição e miniaturas, restauradores, revendedores de automóveis: tudo é permitido na Rétromobile. Um evento internacional em Paris, o primeiro show da temporada para os amantes de carros antigos. 620 expositores 72.000 m² de espaço para exposições 1.100 veículos em exposição, mais de 120 clubes presentes.

Em Versalhes, Paris, França.

A Primeira Exposição da Temporada para os Amantes de Carros Antigos. Venha viajar no tempo ou viver a sua paixão. Sonhe, maravilhe-se, aprenda, invista, conheça artistas, clubes e federações, livreiros, organizadores de ralis, vendedores de peças de reposição e miniaturas, manuais, livros, cartazes, negociantes de automóveis, casas de leilões, restauradores mecânicos e de carrocerias e seguradoras de fabricantes como: Bentley, Bugatti, BMW, Mercedes , Porsche, Ferrari, Citroën, Peugeot, Renault, Lancia, Alfa Romeo, Jaguar, Land Rover, Ferrari, Aston Martin, Maserati, Lamborghini… É o espetáculo para entusiastas, curiosos ou amantes de carros antigos.

Acima a porta de entrada para o grande público. E abaixo o complexo

Uma viagem no tempo para apreciar muitos automóveis distintos de vários países e décadas. Abaixo um Cadillac Cupê conversível, ano 1931, motor V12 370 modelo Fleetwood


As 24 Horas de Le Mans, um laboratório de novas tecnologias

O evento de resistência mais prestigioso do mundo sempre foi um banco de testes para as tecnologias do futuro. Muitos veículos expostos na feira Rétromobile foram exibidos. Em 2023 a prova completa 100 anos.

Acima um Porsche 911 Carrera Turbo RSR, equipado com turbo nas 24 Horas de Le Mans de 1974

A inovação tecnológica e o progresso técnico estão no DNA das duas torres do relógio Sarthe. Assim o imaginaram os três fundadores deste novo evento: Charles Faroux, jornalista esportivo da Auto and Automobile Life, Georges Durand, secretário do Automobile Club de l’Ouest, e Emile Coquille, diretor da Rudge-Whitworth. “Impulsionar os concorrentes esportivos e fabricantes para uma preparação cada vez mais minuciosa dos modelos comercializados e, para isso, aumentar as dificuldades aumentando a duração das provas convencionais”, tal é a vocação deste novo Grand Prix d’Endurance, também denominado Rudge -Whitworth Triennial Cup, que foi disputada pela primeira vez no fim de semana de 26 de maio de 1923 em um circuito de 17,262 km já utilizado durante o Grand Prix de l’Automobile Club de France em 1921.

Abaixo um Lorraine Dietrich carro equipado com faróis de neblina nas 24 Horas de Le Mans de 1926

A lista de veículos exibidos na Retromobile e que impuseram inovações em Sarthe ainda não foi finalizada, mas por um século Le Mans foi, portanto, a vitrine de inovações e o banco de testes de novas tecnologias. Acelerador do progresso, o evento de Le Mans contribui para a evolução da espécie automobilística, seja em termos de segurança ativa ou soluções aerodinâmicas, confiabilidade ou desempenho do motor. Desde 1923, o progresso na iluminação deve muito às 24 Horas de Le Mans. Em 1926, os três Lorraines foram equipados com o “Cyclops”, o primeiro farol de neblina produzido pela Marchal. No ano seguinte, a tração dianteira estreou em Sarthe com o Tracta com motor SCAP projetado pelo engenheiro Grégoire. Ao mesmo tempo, Le Mans permite que os fabricantes de pneus façam grandes progressos e contribui para o estudo de um melhor traçado de estradas e novas superfícies.

Bugatti Tank 57 C

À medida que as carrocerias se tornaram mais aerodinâmicas para reduzir a resistência do ar e o consumo de combustível, as velocidades médias aumentam. Em 1939, o vitorioso Bugatti Tank 57C percorreu 3.354,760 quilômetros a uma velocidade média de 139,781 km/h. Quando os concorrentes e o público regressam a Le Mans, após dez anos sem corrida, recebeu, pela primeira vez, um carro a gasóleo (Delettrez). Houve outras evoluções muito importantes que as marcas Audi e Peugeot trouxeram nos anos 2000.

Jaguar D-Type D equipado com freios a disco nas 24 Horas de Le Mans de 1953

Se temos veículos com uma frenagem tão eficaz é também porque, pela primeira vez no mundo, os freios a disco foram testados e aprovados no circuito de Le Mans. Foi no Jaguar D-Type  que devemos a introdução deste equipamento em 1954. Mesmo as ideias ousadas  foram apresentadas. Em 1963, os ingleses da Rover testaram um motor a turbina em um chassi derivado de um Fórmula 1 e preparado pela BRM. Com o número “00”, o carro não se classificou dentre os primeiros. Isso não o impediu de terminar, percorrendo 4.172,910 quilômetros, o que lhe valeria o 7º lugar na classificação geral e seus dois pilotos, Graham Hill e Richie Ginther, de um pódio. Duas edições depois, Hill compartilhava com Jackie Stewart uma nova evolução. Desta vez, o carro está inscrito na categoria Protótipos. Ela terminou em 10º lugar.

Audi e-tron quattro, o primeiro carro híbrido a vencer as 24 Horas de Le Mans, em 2012

Durante as décadas de 1970 e 1980, as transferências de tecnologia e as pontes de inovação entre a competição e a série são numerosas. As transmissões semiautomáticas ou de dupla embreagem, os freios de carbono-cerâmica, mas também o motor rotativo ou mais recentemente a hibridização com recuperação de energia de frenagem aproveitam o banco de testes representado pelas 24 Horas de Le Mans. Amanhã talvez será a vez do hidrogénio enfrentar o desafio da pista de Le Mans.

Veja o filme https://www.youtube.com/embed/jScTV0Os2mg

E o Peugeot 908 HDi movido a diesel que ganhou o primeiro e segundo lugar em 2009. Foi o segundo protótipo diesel a ganhar depois do Audi R10 TDI


O Troféu do Centenário das 24 Horas de Le Mans

Foi apresentado no passado domingo no Concours d’Élégance de Pebble Beach e vai premiar os vencedores da prova de Le Mans por ocasião do seu 100º aniversário. Abaixo o percurso do troféu

Antes de encontrá-lo no degrau mais alto do pódio, no dia 11 de junho, o público terá a chance de admirá-lo durante sua apresentação na Retromobile


Os famosos das 24 Horas de Le Mans

Além do TOYOTA GAZOO Racing Europe TS050 HYBRID, acima, vencedor em 2020, presente no estande das 24 Horas, outros veículos históricos marcaram presença na Retromobile:

Porsche 917 K

– Lancia LC1 e LC2 no estande da Ascott Collection

– McLaren F1-GTR de 1996 e 1997 no estande da Kidston Motorcars

– Porsche 907

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Retromobile-2023-24-H-Mans-6.jpg

e o Peugeot 908 no estande da Artcurial Motorcars

Ferrari 365 GTB/4 Daytona 1972 Competizione N.A.R.T( North American Racing Team) no estande da ElevenCars


McLaren F1’s

Graças à Kidston Motorcars, sete exemplares McLaren F1s foram exibidos durante o Salão  Retromobile.

Qual versão é a sua favorita?

Faça sua escolha


Porsche 911

Como prevê o nosso cartaz oficial, o Retromobile marcará o início das comemorações de um duplo aniversário da Porsche: o 60º aniversário do icônico 911 e o 75º aniversário da marca O estande da marca será dedicado a seis décadas de competição na estrada, circuito e fora de estrada

Porsche 911, eterna juventude

A edição de 2023 do Rétromobile marca o início da celebração do 60º aniversário da rainha dos carros esportivos, que por si só simboliza o espírito Porsche. Apresentado em 12 de setembro de 1963 no Salão Automóvel de Frankfurt, o 911 já conta com mais de um milhão de unidades produzidas. Abaixo um dos protótipos iniciais.

A GÊNESE DO 911

Ferry Porsche, fundador da marca de carros esportivos que leva seu nome, não poderia resumir melhor a filosofia do 911: “É o único carro com o qual você pode participar de um safári africano, correr as 24 Horas de Mans, ir ao teatro ou mesmo andando pelas ruas de Nova York. Em breve fará sessenta anos que o 911 ocupa a frente do palco. Só ele incorpora o espírito e a genialidade da Porsche. Sua carreira se funde com a história da marca.

À custa de atualizações sistemáticas, ele melhorou ao longo do tempo, mantendo-se fiel às suas curvas arredondadas, seu flat-six que sussurra uma música à parte e seu conceito anacrônico com um motor traseiro saliente. . É o único esportivo dotado de uma rara versatilidade, ou seja, tanto utilizável no dia-a-dia graças, nomeadamente, a uma fiabilidade inigualável e capaz de enfrentar o teste de um circuito sem reclamar.

Idealizado em 1957, a construção deste novo carro para oferecer maior potência, melhor manuseio, maior silêncio e maior espaço está longe de ser um rio calmo. Batizado de T8, este projeto foi finalmente revelado em 12 de setembro de 1963 no Salão Automóvel de Frankfurt, sob a designação 901. Os folhetos comerciais indicam uma distância entre eixos de 2.211 mm, um comprimento de 4.163 mm e um peso pena de 1.080 kg. A velocidade máxima sai em 200 km/h, feito dado a potência limitada a 130 cavalos.

A recepção do público é mista. “Caro demais, sábio demais, burguês demais”, proclama. Pior: o carro está longe de estar pronto. Os engenheiros não conseguem reproduzir o comportamento dos protótipos dos primeiros modelos de produção, que sofrem de grande dispersão, difícil manuseio e funcionamento errático dos carburadores Solex. O lançamento foi adiado por um ano.

A Porsche também deve enfrentar as reclamações da Peugeot, que reivindica a propriedade dos números de três dígitos com um zero no meio. Ferry Porsche decidiu, em 22 de novembro de 1964, optar pelo “Type 911”, a solução mais pragmática.

Sucesso esportivo inigualável

No ano seguinte, o 911 terminou em um promissor quinto lugar no rali de Monte-Carlo. Este é o prelúdio de uma carreira esportiva que permanece inigualável até hoje. Durante suas seis décadas de existência, o 911 nunca parou de correr, vencendo em todos os terrenos, dos ralis aos circuitos, passando pelas pistas africanas.

Na frente de produção, o 911 demonstra um potencial quase “ilimitado”. Aumento de potência e desempenho; o chassi perdoa cada vez mais os excessos dos motoristas impetuosos; o conforto é igual ao de um sedã.

Os fundamentalistas ficam ofendidos, mas o Porsche 911 amplia o círculo de seguidores. A gama apresenta agora uma diversidade incrível de variantes e modelos de carroceria. São vinte e seis modelos, incluindo as duas versões de edição especial 911 Sport Classic e 911 Dakar, acima.


Benetton B195

  • 1 título do Campeonato Mundial de Construtores
  • 1 título do Campeonato Mundial de Pilotos
  • 9 vitórias, 11 pódios e 3 pole position

Aqui está o histórico do Benetton B195 que impulsionou a equipe homônima e Michael Schumacher ao topo do mundo no final da temporada de F1 de 1995


Richard Mille, uma homenagem à Ferrari

Através de oito monstros sagrados bem escolhidos, Richard Mille nos deu de presente os destaques da história esportiva da empresa de Maranello, da qual é sócio privilegiado. Uma pista? Fórmula 1, Endurance, Grand Touring… haverá algo para todos! Abaixo um modelo Ferrari 340 MM Touring Barchetta Superleggera ano 1951. Acima um Ferrari 195 S.

Em 12 de março de 1947, a multidão se reúne em frente à varanda da fábrica da Ferrari, via Abetone Inferiore, em Maranello, para assistir às primeiras voltas do chassi 125 S. Dois meses depois, a barquete vence o Grande Prêmio de Roma. Suas laterais trazem o emblema da Scuderia Ferrari: um pequeno cavalo preto sobre um fundo amarelo. Acima um modelo 166 S. Abaixo um modelo Indy 1952

A réplica da esquadra do ás italiano da Grande Guerra, Francesco Baracca. A mãe do aviador havia proposto a Enzo Ferrari que aparecesse em seu carro na noite de uma de suas vitórias em Ravenna, que ela havia assistido em 1924. “Vai lhe trazer sorte”, disse a condessa. Abaixo um “esquadra” do modelo GTO (Gran Turismo Omologata) 250

Ela estava certa. Em setenta e cinco anos, a empresa de Maranello acumulou mais de 6.000 vitórias em todas as categorias do automobilismo. É o que mostra o estande da Richard Mille Retromobile: Fórmula 1, resistência, grand tour, nenhuma disciplina escapou da Ferrari. Abaixo um modelo 512 P que também foi pilotado por José Carlos Pace.

Bela história de um super campeão. Abaixo um modelo  Ferrari 1956 290 MM com Juan Manoel Fangio ao volante


O Porsche da equipe Valkyrie Racing no show do Rétromobile!

Vindo diretamente da Antártida após uma bem-sucedida expedição de 356 milhas graças ao seu kit “neve”, o Porsche 356 da equipe Valkyrie Racing foi uma das muitas estrelas do show Retromobile.

Membros da Equipe Valquíria ao redor do Porsche 356 na Antártica

Desde 2017, Renée Brinkerhoff e seu Team Valkyrie se propõem a participar dos comícios mais exigentes do mundo em sete continentes, para protestar contra o tráfico de crianças. Depois de Ásia, América do Norte, América do Sul, Europa e Oceania, um desafio final se apresentava: o continente mais inóspito, a Antártida.

Porsche 356 equipado com kit de neve na Antártica

Para isso, o Porsche 356 do Team Valkyrie está equipado com um kit de neve para enfrentar as condições extremas do continente gelado. Também foi preciso adaptar a mecânica do carro, com peças desenhadas e produzidas especialmente para a ocasião, para que resistisse ao clima polar, o que foi possível graças à ajuda dos exploradores, especialistas no mundo dos ralis.

Porsche 356 Team Valkyrie parado na Antártica

Assim, em dezembro de 2021, após uma bateria de testes extremos – até as condições que o aguardavam o Team Valkyrie, o Porsche 356 caiu na estrada pelo sul do continente. Depois de 356 milhas através do gelo, o veículo e a tripulação cobriram mais de 20.000 milhas (32.000 quilômetros) em 7 continentes, uma estreia mundial!


FCA Heritage promoveu o seu patrimônio

O departamento Heritage do grupo Stellantis esteve presente através das suas marcas Abarth, Alfa Romeo, Fiat e Lancia, que este ano destacaram as suas atividades de preservação, valorização e promoção do patrimônio através do seu departamento FCA Heritage. No menu: a exposição de um Alfa Romeo SZ de 1989, um Alfa Romeo Giulia Super Sprint de 1956, um Fiat 600 Abarth 850 TC (abaixo) de 1964 e o Lancia 037 de 1982. Acima o Lancia D25 SS de 1954

Há vários anos que o grupo Fiat (Abarth, Alfa Romeo, Fiat e Lancia), agora integrado no grupo Stellantis, agrupa na entidade FCA Heritage as suas atividades de preservação, valorização e promoção do seu património. No Rétromobile, os visitantes descobriram a riqueza dos serviços oferecidos, mas também das coleções com a exibição de um Alfa Romeo SZ de 1989, um Abarth 850 TC de 1961 e o famoso Lancia D25 SS de 1954 que nunca participou de uma corrida.

Para cada uma das suas marcas italianas, o departamento FCA Heritage pode assegurar, sob a marca “Classiche”, a manutenção, a venda de peças e a certificação dos veículos. Neste último caso, em estreita colaboração com o departamento de patrimônio da Stellantis, as marcas FCA Heritage podem emitir um certificado de origem, mas também um certificado de autenticidade. Abaixo o Alfa Romeo SZ de 1989

O primeiro é usado para validar as informações originais de produção e configuração do veículo a partir do seu número de chassi. O certificado valida a autenticidade do veículo após rigoroso processo de inspeção e avaliação de seus componentes e funcionamento de suas partes mecânicas por equipe especializada. Enquanto se prepara para completar 113 anos, a Alfa Romeo é a última a adotar o programa Classiche.


Volkswagen Combi, reunião familiar

A fabricante alemã acompanha o lançamento do ID.Buzz, seu novo Combi elétrico, com uma exposição de seus anciãos. A oportunidade de relembrar uma saga que começou há mais de 70 anos. Acima Vans Volkswagen ID Buzz e Combi em uma praia

UM ÍCONE SE REINVENTA

O Combi é imortal. Com mais de 70 anos, aqui ela se reinventa na forma de um veículo elétrico. Considerada a primeira minivan “emissão zero” do mercado, a ID. Buzz pode ser visto como uma interpretação moderna do Combi/Kombi. Uma história que começa no rescaldo da Segunda Guerra Mundial e mostra que muitas vezes são as ideias mais simples que triunfam. Abaixo as Volkswagen Kombi em frente a uma paisagem costeira

O Volkswagen Kombi, que se tornou o veículo de lazer cult dos Trinta Gloriosos, deriva do “Plattenwagen”, um pequeno veículo construído para transportar paletes pesados ​​dentro do pátio da fábrica de Wolfsburg. É a Ben Pon (quem idealizou) que devolve a paternidade. Foi quando descobriu o utilitário durante uma visita ao centro de produção da VW, em abril de 1947, que o importador holandês da marca esboçou o projeto de um veículo de transporte de passageiros com volante à frente e motor traseiro. Ele estava tão certo de sua descoberta que convenceu Heinrich Nordhoff, o chefe da VW, a fazer um protótipo que estava na estrada em novembro de 1949.

O resto nós sabemos. Apelidado de Bulli pelos funcionários de Wolfsburg por causa da semelhança da frente com um bulldog, mas também chamado de Transporter, a Combi/Kombi entrou em produção em 8 de março de 1950, à razão de dez unidades por dia. Este veículo versátil pode acomodar até oito pessoas em uma cabine muito iluminada, mas também pode ser adaptado para o transporte de cargas. Por uma questão de economia, adotou os eixos e o motor do Fusca, um 1,2 litros de 4 cilindros refrigerado a ar que entregava 70 cavalos de potência em sua versão mais potente. Ao longo das décadas, a Combi ou Transporter se reinventou constantemente para o deleite de seus fãs. Ele serviu de base para uma infinidade de versões e carrocerias especiais. Alguns modelos vão até virar queridinha das novas nômades que se casaram com a Vanlife. Este ano, o salão do Rétromobile deu um lugar de destaque a este fenômeno, que vive um entusiasmo sem precedentes.


Vanlife, os novos nômades: uma exposição na Retromobile

Em parceria com a agência “Coflocs”, o Salão Rétromobile abriu o fenômeno dos novos nomades que se aventuram ao volante de antigas peruas/utilitário convertidos. É um novo modo de vida que os visitantes da feira descobriram graças à exposição inédita Vanlife e seus dez veículos expostos na passarela que liga os pavilhões 1 e 2.

Van Volkswagen T3 com vista para La Chartreuse acima. O VANLIFE: UM FENÔMENO NA ERA DO TEMPO

São estudantes, ativos ou aposentados. Sozinho, casal ou família. Seus pontos comuns? Resolveram largar, sem avisar, deixar o cotidiano sedentário para viver novas aventuras nômades. Popularizado em maio de 2020 com o primeiro desconfinamento por preservar o mais alto nível de segurança sanitária, esse estilo de vida conta com o poder das redes sociais para angariar novos seguidores. Navegar nessas plataformas, por sua vez, o encoraja a pegar a estrada. Descobrimos vídeos de paisagens exóticas e fotos de encontros inusitados, situações novas e instalações muito confortáveis.

Volkswagen Kombi T1 na natureza

Viva, viaje e viva numa Kombi equipada à sua imagem e muitas vezes antiga, tanto para um fim-de-semana em França como para uma viagem indefinida ao outro lado do mundo: assim é a vida numa Kombi (Vanlife) . Um fenômeno que todos esses aficionados descrevem como um hino à liberdade. Um universo que tem seus códigos e usos. Este tipo de turismo oferece uma verdadeira lufada de ar fresco e uma grande flexibilidade organizacional, porque pode viajar de forma inesperada, sem ter de despachar as malas num parque de campismo.

Van Chevrolet da Califórnia com vista para Los Angeles – VANLIFERS DEIXAM SUAS MALAS NA RETROMOBILE

A van é a ferramenta de suas andanças, sua casa sobre quatro rodas. A originalidade está no poder: o show Rétromobile mostrou que muitos veículos se prestam ao Vanlife. Os visitantes descobrirsm uma dezena de veículos: Volkswagen Combi, Peugeot J7, Chrysler cabriolet 1933 com sua caravana, Renault Estafette, autocaravana Simca 1100, microônibus Fiat 850 Familiare equipado com sua tenda de teto de época, Citroën 2 CV Tour du World, Peugeot D4B , Autocaravana Commer.

Acima Van Citroën Type H em frente ao mar

Através destes veículos, mas também dos testemunhos dos seus proprietários, o Salão Rétromobile foi uma oportunidade para descobrir as duas categorias de vanlifers: fãs de acessórios caseiros ou “DIY” e seguidores de vans totalmente equipadas, como o famoso Kombi VW T1 e T2 Westfalia dos anos 1970. Segundo a Coflocs criada por Laurent Lingelser e Florian Mosca, dois vanlifers amantes da aventura que fazem vídeos e documentários inspiradores de suas viagens, além de guias com a Michelin, a Kombi VW T3 é a van de referência. Foi aliás ao volante deste modelo que os próprios autores e realizadores do filme “Vanlife, os novos nômades” apanharam o vírus desta nova forma de vida.

Van Volkswagen T3 no deserto

Os Vanlifers podiam falar durante horas sobre as suas viagens e as suas experiências que podem ser resumidas numa fórmula: “Você aponta para um ponto no mapa e vai lá quando quer e a sua vida quotidiana não será alterada graças em particular às ferramentas das comunicações modernas. O testemunho de Eva e Matthias foi esclarecedor. Depois de passar seis meses reformando e equipando um Peugeot J7 1979, esses jovens queriam viajar para o sul da Europa. “Encontramos vanlifers que estavam indo para o Cabo Norte. Decidimos segui-los e nos deixar levar. Depois de oito meses na estrada e 20.000 quilômetros, aqui estão eles de volta à França com a memória de encontros extraordinários e imagens em suas cabeças que terão o prazer de compartilhar no Salão Rétromobile. Obviamente, eles não desistiram do sul da Europa, que será seu próximo destino em algumas semanas. Garantindo grande liberdade de movimento e uma mudança total de cenário, o Vanlife está desfrutando de uma popularidade sem precedentes.


Leilões

A Rétromobile tem o prazer de anunciar a renovação da sua parceria com a plataforma de leilões online Catawiki. A Catawiki foi o principal patrocinador da área de exposição e vendas de veículos com menos de 25.000 euros no pavilhão 3. A Catawiki irá apresentou três Carros Sem Reserva no seu stand, incluindo um lindo Porsche 911 E laranja ano 1970. Cerca de 250 carros foram exibidos para serem leiloados.

O leilão incluindo este carro ocorreu na terça-feira dia 7 de fevereiro durante os Dias Sem Reserva Catawik

Depois da bela italiana, a casa francesa de leilões Artcurial Motorcars não revelou apenas um veículo para o seu leilão, mas uma coleção de Mercedes-Benz AMG dos anos 80

Este último consiste em um 1000 SEC Carat, um dos vinte Mercedes-Benz 560 SEC AMG 6 Litros Wide Body de fábrica, bem como um dos três excepcionais SEC AMG Gullwings de fábrica.

Um Lamborghini Miura SV

Um Ferrari 250 LM

Um Maserati 3500 GT

Um Ford GT-40 Réplica

Um Aston Martin DB-5

Um Ferrari 330 GT 2+2 Series 2 1966 cupê Pininfarina

Um Citroën BX 4TC Evolution

Um Bugatti 57 Atalante de 1936

Jaguar XK-120

Um MG-A

Um Rolls-Royce Silver-Shadow


Participaram também a casa Sotheby’s e Auction house AGUTTES


Os Americanos

Cadillac Série 62 modelo década de 50

Um Chevrolet Corvette da terceira geração

E um para as pistas que correu em provas de subida de montanha

Um Ford Mustang GT cupê

E um muito especial que fez parte do filme “O Marginal” , de 1983, com o ator francês Jean Pierre Belmondo. Veja um trecho


Franceses

Um Peugeot 204 cupê de ralis

Citroën e Astérix. Foi apresentado o primeiro concept-char (carroça conceito) da história do Salão Rétromobile. Inspiração clara no Citroën 2CV

Um Citroën Traction

Um Citroën SM preparado. Este protótipo de 340 cavalos foi usado para desenvolver modelos de competição baseados no SM. Motor Maserati de 3,0 litros com quatro comando de válvulas no cabeçote, três carburadores duplos Weber, quatro válvulas por cilindro. Potência : 340 cavalos e velocidade máxima de 285 km/h.

Um Alpine A-310 da polícia para ser usado em estradas

Renault 8 Gordini preparado por Amédée Gordini

E um belo Bugatti 35 B


Lá fora

Vários veículos interessantes.

Há vários anos o Salão Rétromobile e o Clube dos Teuf-Teuf Veteran Car Club de França se associaram para apresentar seus veículos com mais de cem anos aos visitantes do salão.

Em 1935, motoristas com mais de dez anos de carteira de habilitação criaram a F.N.C.A.F (Federação de Clubes de Automóveis da França) e fundaram um clube com veículos fabricados antes de 1906. Assim nasceu o primeiro clube francês de automóveis antigos.  O clube francês é o mais antigo em atividades e o quinto depois dos:

  • O Veteran Car Club da Grã Bretanha em novembro de 1930
  • O Veteran Car Club África do Sul em fevereiro de 1934
  • O Vintage Sport Car Club da Inglaterra no final de 1934
  • O Antique Automóvel Club da América em novembro de 1935

De um clube que faz passeios/demonstrações com carros do princípio do século passado

Para todas as idades

Muito interessantes

E a simpatia presente

Sempre originais

Um pouco lá dentro


A Equipe Rétromobile

A nova equipe da Rétromobile foi bem posicionada e antigos e novos se reuniram por vários dias para uma reunião preparatória. Graças ao apoio incansável de Thierry Farges e à presença de nossos 650 comerciantes, fabricantes, clubes e expositores, esta edição de 2023 foi muito rica em exposições, eventos e surpresas de todos os tipos.

E, como o passado tem sempre futuro, foi encerrado simbolicamente este dia com a foto da equipe Rétromobile em torno de um veículo carregado de emoções e histórias: o Bugatti Type 35, ex-Marc Nicolosi, criador do Show Rétromobile. Um muito obrigado ao seu filho, Baptiste, pelo empréstimo desta viatura e pela sua disponibilidade


As fotos do amigo Roger Fortunato

A entrada da exposição

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Retromobile-2023-Roger-II-2-rotated.jpg

Um Matra-Simca 630 – (Mécanique Aviation TRAction)

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Retromobile-2023-Roger-II-321-rotated.jpg

Matra-Simca MS 670 que ganhou as 24 Horas de Le Mans em 1971 e o Campeonato Mundial de Marcas de 1972 e 1973

Um espetacular 375 Thinwall Special um fórmula Ferrari aperfeiçoado pela Vandervell Racing

Um Ferrari 312 T que foi pilotada por Gilles Villeneuve

Ferrari 312 B3 de Clay Regazzoni

A Ferrari F1 91 de Alain Prost

Um Jaguar XJ 220

Um AC Cobra Saiba mais

Um Bugatti EB 110

Um Bizzarrini 5300 GT Corsa / Iso Grifo A3/C

Um Aston Martin DB3S 1953

Um Porsche 962 C do campeonato Mundial de Marcas (WEC) do início da década de 90

Um Howmet TX (Turbine Experimental) Saiba mais

Um De Tomaso Pantera Conheça

Um Porsche Carrera 906 Conheça

Um Ford Mustang cupê muito semelhante ao do filme francês Um Homem e um Mulher(Un Home et une Femme) de Claude Lelouch de 1966

Para passear com muita classe. Um Rolls-Royce Silver Cloud

Agradecimento especial a Roger Fortunato é um empreendedor, especialista, um expert em mecânica de automóveis.


Veja como foi em 2022

Veja os anos anteriores


Grand Merci au Space Presse Rétromobile.

Montagem e tradução Francis Castaings

© Copyright – Site https://site.retroauto.com.br – Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução de conteúdo do site sem autorização seja de fotos ou textos.

Acesse o site Retroauto na versão anterior

Volte a página principal do site